Dívida de carro pode ter motivado execução de homem no Ermelinda

Vítima, que levou sete tiros, teria atrasado um das parcelas da prestação do veículo; ninguém foi preso

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

A Polícia Civil vai investigar a morte de um homem de 32 anos que foi assassinado com sete tiros, na madrugada desta segunda-feira (30), no bairro Ermelinda, na região Noroeste de Belo Horizonte. A execução pode ter sido motivada por causa de uma dívida em relação à compra e venda de um carro.

Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a mulher de Gilson de Oliveira Júnior contou aos militares do 34º Batalhão que dois homens chegaram no imóvel do casal, localizado na avenida Major Delfino de Paula, chamando pela vítima.

A dona de casa afirmou para os suspeitos que o marido não estava, mas, mesmo assim, eles forçaram a porta e começaram a atirar. Júnior foi baleado no tórax e braços e morreu na hora. A mãe do homem afirmou à polícia que o desacordo comercial poderia ser a causa do assassinato.

Em data anterior, a vítima adquiriu um Gol, mas teria atrasado uma das prestações. Com isso, a mulher que realizou à venda teria pedido o carro de volta e levado outros interessados no veículo na casa de Júnior. O combinado era que a vítima receberia R$ 5.500 que tinha dado de entrada na compra do carro de passeio.

Depois de alguns dias, a mãe de Júnior fez contato com a dona do veículo e disse que entraria com   um processo no Juizado de Pequenas Causas para que a situação fosse resolvida. Depois disso, nenhuma das partes se pronunciou mais.

A mulher de Júnior disse aos policiais que um dos atiradores parecia que o homem que tinha ido ao imóvel olhar o automóvel. Militares fizeram rastreamento na região, mas nenhum suspeito foi identificado ou localizado.

A ocorrência foi encerrada na Central de Flagrantes 2 (Ceflan).

Leia tudo sobre: dívidacarroermelinda