No sufoco e na raça, Cruzeiro vence a URT e mantém a liderança

Marcos Vinícius fez sua estreia pelo time celeste e participou do primeiro gol que deu o triunfo à Raposa

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

O gramado do estádio Zama Maciel estava ruim. O calor era alto, ultrapassando os 30º C em Patos de Minas. E a URT se mostrava um time bem fechado. Este foi o cenário encontrado pelo meia Marcos Vinícius, neste domingo, em sua primeira oportunidade como titular do Cruzeiro. Mas o maior inimigo do jovem foi ele mesmo. A afobação tomou conta do armador de 20 anos no primeiro tempo. Era o reflexo de quase toda a equipe, dona de uma exibição abaixo da média. Só que a conversa com o técnico Marcelo Oliveira no intervalo fez efeito e o camisa 34 deixou a partida com moral.

Foi através de uma grande jogada de Marcos Vinícius, aos 5 min da segunda etapa, que a Raposa conseguiu superar o ferrolho da equipe de Patos. Dos pés dele surgiu o passe a Marquinhos, o autor do primeiro gol da vitória suada por 2 a 0. Joel fez mais um no final do confronto. No mais, Vinícius mostrou disposição e vontade, deixando claro que precisa de mais oportunidades para lapidar seu futebol.

Logicamente, o lance brilhante não faz de Marcos a salvação para uma equipe que segue à busca de um maestro, um homem perito em orquestrar o meio-campo azul. Tal peça tem feito falta ao Cruzeiro nos primeiros meses da temporada. Tampouco os erros cometidos em boa parte do primeiro tempo significam que o meia não vá vingar no esporte.

As instruções de Marcelo Oliveira e a experiência adquirida com uma sequência de jogos serão de suma importância para o jovem em sua trajetória com a camisa azul e branca.

Liderança. O gol de Marquinhos garantiu o Cruzeiro na ponta da tabela de classificação do Campeonato Mineiro, agora com 24 pontos.

No entanto, a atuação do time celeste, como um todo, esteve abaixo da média. No primeiro tempo, a exibição foi uma mescla de incompetência nas poucas finalizações que teve com falhas em demasia no último passe. Na defesa, porém, a equipe demonstrou solidez. O goleiro Fábio foi um mero espectador da partida.

Na segunda etapa, após o gol, os azuis tiveram boas chances de ampliar. Leandro Damião se mostrava um jogador importante e persistente. Mas os erros de passe voltaram a atormentar a Raposa.

A URT, por sua vez, tentava se arriscar no ataque aos trancos e barrancos. O goleiro Fábio levou um susto ao dar umas embaixadinhas, quase se complicando. No entanto, foi ele também o autor de ótimas defesas. No fim, Joel deixou o dele, sacramentando o triunfo.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposamarcos viniciusurtcampeonato mineiro