Acordo é possível, mas sem bomba nuclear, diz britânico sobre Irã

Último chefe de diplomacia das grandes potências a se juntar às discussões com os iranianos na Suíça, o ministro Hammond declarou que "um acordo pode ser obtido"

iG Minas Gerais | AFP |

Um acordo com o Irã no tema nuclear é "possível", mas a bomba atômica deve estar "fora de alcance" de Teerã - afirmou o ministro britânico das Relações Exteriores, Philip Hammond, neste domingo, em sua chegada para as negociações de Lausanne.

Último chefe de diplomacia das grandes potências a se juntar às discussões com os iranianos na Suíça, o ministro Hammond declarou "estar aqui, porque pensamos que um acordo pode ser obtido (...) mas deve ser um acordo que ponha a bomba (atômica) fora do alcance do Irã".

"Não pode haver qualquer concessão sobre esse ponto", frisou. "Vamos tentar realizar isso nas próximas horas. O Irã deve tomar fôlego e tomar decisões difíceis para garantir que essa 'linhas vermelhas' sejam atendidas. Espero que tenhamos sucesso nas horas que se seguem", completou Hammond.

Neste domingo à noite (horário local), acontece uma cúpula com todos os protagonistas envolvidos nas negociações - os chefes da diplomacia do Irã e do grupo P5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha) -, além da União Europeia, no hotel Beau Rivage Palace, de Lausanne.

Esse encontro será precedido por uma reunião iniciada logo após a chegada do ministro britânico. Em declarações neste domingo, o número dois da delegação de Teerã, Abbas Araghchi, que também está na Suíça, reconheceu que um acordo é possível, mas destacou que ainda há questões a resolver.

"Chegar a um acordo é possível. Encontramos soluções para várias questões. Trabalhamos ainda em duas, ou três questões, porém, e não encontramos soluções", admitiu Araghchi, em conversa com jornalistas. Araghchi disse ainda que o Irã não enviará sua reserva de urânio enriquecido para o exterior, mas propôs soluções para tranquilizar os membros do P5+1.

"Não temos a intenção de enviar nossas reservas de urânio enriquecido para o exterior, mas há outras soluções para criar a confiança sobre esses estoques, para acabar com as preocupações com qualquer uso que não seja pacífico. Discutimos sobre isso e quase chegamos a uma solução. Mas está fora de questão enviar essas reservas para o exterior", garantiu Araghchi.

Desde quinta-feira, iranianos e americanos negociam em Lausanne.

Leia tudo sobre: IrãacordoInglaterrabomba nuclear