Às vésperas do GP da Malásia, Mercedes vê evolução da Ferrari

Chefe da equipe alemã disse estar pronto para briga acirrada nas próximas corridas da temporada

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Os pilotos Kimi Raikkonen, Sebastian Vettel e Esteban Gutiérrez (reserva) posam ao lado do novo carro e dos diretores da escuderia
Divulgação/ Ferrari
Os pilotos Kimi Raikkonen, Sebastian Vettel e Esteban Gutiérrez (reserva) posam ao lado do novo carro e dos diretores da escuderia

Foi um início de temporada perfeito para a Mercedes. Primeira fila no treino de classificação e dobradinha de Lewis Hamilton e Nico Rosberg no GP da Austrália, há dez dias.

Resultado ainda melhor que na bem sucedida campanha do ano passado, quando Rosberg classificou-se em terceiro e Hamilton, apesar de ter saído na pole, não completou a primeira prova por um problema no motor de seu carro .

Mas, apesar do bom início, a atual campeã mundial afirmou que não irá relaxar às vésperas da segunda etapa do campeonato, o GP da Malásia, que será disputado neste domingo (29), em Sepang, a partir das 4h (de Brasília).

"Melbourne foi um final de semana sem erros de nossa equipe e um merecido prêmio pelo trabalho que fizemos durante o inverno, mas foi apenas uma corrida", afirmou Toto Wolff, chefe da equipe alemã.

"Não vamos e não podemos relaxar. Nossos adversários estão atrás de nós. A Ferrari certamente deu um passo à frente e a Williams também se mostrou forte na Austrália. Estamos preparados para a briga nas próximas corridas", declarou o dirigente.

Em Melbourne, o ferrarista Sebastian Vettel chegou na terceira posição, mas em nenhum momento chegou a ser uma ameaça real para a dupla da Mercedes.

Felipe Massa, da Williams, completou a prova no quarto posto, imediatamente à frente de Felipe Nasr, da Sauber.

Segundo Wolff, em Sepang a Mercedes deve estar tão forte quanto esteve na Austrália. "Vamos atacar com a mesma intensidade. Nas nossas mentes estamos de volta à estaca zero e nosso objetivo ainda é mesmo", completou o dirigente.

Leia tudo sobre: Fórmula 1MercedesFerrariGPMalásiaevoluçãoMelbourneToto Wolff