Filme revela toda a sede de vingança da protagonista

iG Minas Gerais |

No novo capítulo da saga, Tris mostra seu lado mais sombrio
paris filmes
No novo capítulo da saga, Tris mostra seu lado mais sombrio

Estreia hoje nos cinemas “A Série Divergente: Insurgente”, sequência do longa “Divergente”, que apresentou a saga futurista ao público, no ano passado. Com o sucesso do filme anterior, que arrecadou mais de US$ 280 milhões em todo o mundo, esta produção caprichou mais nas cenas de ação e nos efeitos especiais. O longa também estará em salas com projeção em 3D. SÃO PAULO.

A atriz norte-americana Shailene Woodley, no papel de Tris, ganha novo visual na saga. De cabelos curtos, ela ainda mostra o seu lado mais sombrio. Shailene, que virou a queridinha dos jovens com o drama “A Culpa É das Estrelas” (2014), coloca para fora toda a sua sede de vingança. A personagem age com apoio do namorado, Four (o galã Theo James).

Nesta parte da história, baseada na trilogia da escritora norte-americana Veronica Roth, o casal está refugiado, depois de ter enfrentado a vilã Jeanine (Kate Winslet). A líder, que ganha mais destaque nessa fase, ainda não se conformou por ter perdido de vista os seus maiores inimigos, os divergentes, e passa todo o longa à caça deles.

Como apresentado no primeiro filme, o mundo está dividido em facções. Os divergentes e os sem-facção são as categorias excluídas dessa sociedade. Mocinhos da saga, Tris e Four acabam acolhidos pela facção da amizade, mas não demora para que Jeanine cruze o caminho deles.

Com menos tempo para romance e mais ação, o plano dos bonzinhos é reencontrar os amigos habilidosos de sua antiga facção, audácia, para iniciar uma guerra contra a divisão imposta pelos seus líderes. Mas a vilã Jeanine usará armas físicas e psicológicas para conseguir fazer Tris se entregar.

O longa tem uma história rica em detalhes. Por isso, é recomendado ver ou rever “Divergente” antes de correr para as salas de cinema. Para quem já viu, é bom lembrar que o primeiro longa apresenta uma sociedade, em um futuro apocalíptico, que encontrou uma solução para a paz: dividir os seus cidadãos em facções, de acordo com as suas qualidades.

Os jovens passam por testes que definem seus grupos de destino: a abnegação (para os altruístas), a amizade (da harmonia), a audácia (para os corajosos), a franqueza (que preza a justiça) e a erudição (dos gênios). Liderada pelos eruditos, a sociedade vê os divergentes (que se encaixam em todas elas) como um mal a ser eliminado.

Outras estreias

Três produções nacionais chegam ao cinema hoje. “O Duelo”, de Marcos Jorge, traz a última atuação no cinema de José Wilker, morto em abril passado. Dirigido por Luiz Henrique Dias, “Meus Dois Amores” é uma livre adaptação de um conto do livro “Sagarana”, de Guimarães Rosa, com Caio Blat e Maria Flor no elenco.

Já “Insubordinados”, dirigido por Edu Felistoque, escrito e interpretado por Silvia Lourenço, é o primeiro filme da “Trilogia da Vida Real”. E para finalizar os lançamentos de hoje, os cinemas recebem o novo filme de Paul Haggis, “Terceira Pessoa”, em que ele tenta fazer um panorama sobre as relações afetivas em várias histórias

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave