Operação lava jato completa um ano com 19 ações penais e cinco cíveis

Investigação começou a ser desencadeada durante processo do mensalão, onde deputado José Janene foi acusado de levar R$ 1,15 milhão na ação e de querer usar valor para lavar dinheiro

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Operação Lava Jato, a maior investigação sobre desvio na história da Petrobras, completa um ano nesta terça-feira (17). Os trabalhos destes 12 meses resultaram em 19 ações penais e cinco cíveis contra executivos, doleiros, empreiteiros e ex-dirigentes da estatal, que foram denunciados por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro. A base da operação está concentrada no juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal em Curitiba.

A expectativa é de que ainda essa semana a força-tarefa do Ministério Público Federal apresente mais uma denúncia. Desta vez a acusação é contra o grupo que controlava uma terceira diretoria da Petrobras. Nessa etapa, as investigações irão apontar desvios em contratos de outras estatais, possivelmente na área de energia. Neste um ano de operação, 15 investigados optaram  por fazer  acordos de delação premiada.

Origem

A Operação Lava Jato começou a ser desencadeada durante investigação do  mensalão, a ação penal 470 do Supremo Tribunal Federal que levou ao banco dos réus 40 investigados, entre eles José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil do governo Lula. De todo o valor arrecadado pelos mensaleiros, R$ 1,15 milhão foi parar na conta do então líder do PP na Câmara, deputado José Janene.

Durante as investigações um empresário do Londrina (PR) afirmou à Polícia Federal (PF) que Janene tentou usar o valor para lavar o dinheiro do mensalão. Uma investigação foi aberta em 2009 e identificou o primeiro grande alvo, o doleiro Alberto Youssef, parceiro do ex-deputado, morto em 2010.

A PF conseguiu identificar que a Petrobras era utilizada por um cartel formado por algumas das maiores empreiteiras do país que se infiltraram nas áreas estratégicas da estatal. A ação da organização criminosa era comandada pela Diretoria de Abastecimento, então sob comando de Paulo Roberto Costa, na Internacional, gestão Nestor Cerveró, e na Diretoria de Serviços, sob controle de Renato Duque, nome do PT.

Mais uma etapa

Nesta segunda-feira (16), o Ministério Público Federal fez 27 novas denúncias dentro da operação. Entre os acusados, está o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Também estão nessa denúncia o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, o empresário Adir Assad –investigado sob suspeita de manter empresas laranjas e usá-las para lavar dinheiro – e Lucélio Roberto von Lehsten Góes, filho de Mario Góes, que já está preso em Curitiba e é apontado como operador do esquema de corrupção na Petrobras.

Os três foram presos na manhã desta segunda, na décima fase da investigação que apura um esquema de corrupção na Petrobras.

Políticos

Em março deste ano, procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que investiga o envolvimento de políticos nos desvios realizados pela Operação Lava Jato, divulgou uma lista com o nome de 48 parlamentares que aparecem envolvidos no crime.

A lista de 750 obras alvo de Youssef é um dos indícios dessa atuação da organização em outros setores.

Lista de parlamentares envolvidos:

PP

- Senador Ciro Nogueira (PI) - Senador Benedito de Lira (AL) - Senador Gladson Cameli (AC) - Deputado Aguinaldo Ribeiro (PB) - Deputado Simão Sessim (RJ) - Deputado Nelson Meurer (PR) - Deputado Eduardo da Fonte (PE) - Deputado Luiz Fernando Faria (MG) - Deputado Arthur Lira (AL) - Deputado Dilceu Sperafico (PR) - Deputado Jeronimo Goergen (RS) - Deputado Sandes Júnior (GO) - Deputado Afonso Hamm (RS) - Deputado Missionário José Olímpio (SP) - Deputado Lázaro Botelho (TO) - Deputado Luis Carlos Heinze (RS) - Deputado Renato Molling (RS) - Deputado Renato Balestra (GO) - Deputado Roberto Britto (BA) - Deputado Waldir Maranhão (MA) - Deputado José Otávio Germano (RS) - Ex-deputado e ex-ministro Mario Negromonte (BA) - Ex-deputado João Pizzolatti (SC) - Ex-deputado Pedro Corrêa (PE) - Ex-deputado Roberto Teixeira (PE) - Ex-deputada Aline Corrêa (SP) - Ex-deputado Carlos Magno (RO) - Ex-deputado e ex-vice governador João Leão (BA) - Ex-deputado Luiz Argôlo (BA) (filiado ao Solidariedade desde 2013) - Ex-deputado José Linhares (CE) - Ex-deputado Pedro Henry (MT) - Ex-deputado Vilson Covatti (RS)

PMDB

- Senador Renan Calheiros (AL), presidente do Senado - Senador Romero Jucá (RR) - Senador Edison Lobão (MA) - Senador Valdir Raupp (RO) - Deputado Eduardo Cunha (RJ), presidente da Câmara - Deputado Aníbal Gomes (CE) - Ex-governadora Roseana Sarney (MA)

PT

- Senadora Gleisi Hoffmann (PR) - Senador Humberto Costa (PE) - Senador Lindbergh Farias (RJ) - Deputado José Mentor (SP) - Deputado Vander Loubet (MS) - Ex-deputado Cândido Vaccarezza (SP) - Ex-ministro Antônio Palocci (SP) - será julgado pela primeira instância

PSDB

- Senador Antonio Anastasia (MG). CLIQUE AQUI para ver o inquérito.

PTB

- Senador Fernando Collor (AL). CLIQUE AQUI para ver o inquérito.

Balanço  

Empreiteira - 16 atuavam no esquema Ações produzidas - 19 penais e 5 cíveis Presos - 14 empreiteiros estão presos Delação premiada -  15 acordos de delação foram firmados 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave