A visão de uma jovem escritora

Durante a escrita, ela nunca pensou que o tema poderia afastar os leitores, independentemente do local onde estejam

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Abigail Jane Kathryn Tarttelin nasceu em Grimsby, na Inglaterra. Com 27 anos de idade, é conhecida por leitores, em sua maioria jovens, de mais de 75 países, onde seu segundo livro, “Garoto de Ouro”, já foi publicado.  

No Brasil, a obra foi lançada pela Globo Livros, cujos editores, segundo Abigail, desde o início das negociações pareciam muito animados com a vendagem, mesmo a obra abordando um assunto complexo: a intersexualidade. “A ideia do livro partiu de reflexões pessoais sobre gênero. O que é esperado das mulheres que não são esperados dos homens? O que se exige de um homem que não se pede a uma mulher? Isso me levou à intersexualidade e no meu interesse de explorar como a sociedade, a linguagem e os médicos tratam do assunto”, diz.

Durante a escrita, ela nunca pensou que o tema poderia afastar os leitores, independentemente do local onde estejam. “Sempre pensei que os jovens leitores iriam lidar bem com isso. Mas confesso que fiquei meio apavorado com a reação dos editores. Mas eles são muito especiais e aceitaram bem”, relata.

Até o momento, a autora de “Menino de Ouro” desconhece rejeições intolerantes a seu livro nos países, lista que incluiu a China e o Estado insular Taiwan. “Acho que o livro apresenta uma visão bastante ‘palatável’ da intersexualidade. E acredito que os mais intolerantes vão logo se simpatizar com Max (o protagonista) e talvez ficar menos intolerante a questões LGBT”, avalia.

A escritora demonstra uma perspectiva positiva da recepção de seus livros. Em terras brasileiras, porém, não é possível medir o sucesso no mercado pois, em nota, a Globo Livros afirmou não divulgar tais números. E completou ainda que não há lançamentos previstos para 2015. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave