Adversário de legenda assegura cordialidade

Quando foi governador, Aécio mantinha uma boa relação com Pimentel. Juntos em uma aliança inusitada em 2008, PT e PSDB elegeram o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, do PSB

iG Minas Gerais |

Aécio Neves e Fernando Pimentel se uniram para eleger Marcio Lacerda
PEDRO SILVEIRA/OTEMPO
Aécio Neves e Fernando Pimentel se uniram para eleger Marcio Lacerda

O governador eleito Fernando Pimentel (PT) tem uma boa relação com Aécio Neves (PSDB). No primeiro turno, o petista evitou agressões ao tucano e manteve certa distância da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT).

“O Estado tem dificuldades conhecidas. Qualquer que seja o presidente eleito, bom entendimento com ele vai ser necessário para Minas trilhar um caminho mais seguro. Mineiros vão levar isso em conta quando forem votar. Mas não quero ir além disso para não parecer que estou forçando demais a mão no papel de governador eleito”, afirmou Pimentel quando anunciou a equipe responsável pela transição do governo. A relação entre Pimentel e Aécio, entretanto, ficou abalada quando o tucano acusou o irmão de Dilma Rousseff (PT), Igor, de ser funcionário-fantasma durante a gestão de Pimentel na Prefeitura de Belo Horizonte. O petista chamou Aécio de “leviano” por causa da denúncia, mas já admitiu também ser amigo do tucano. Quando foi governador, Aécio mantinha uma boa relação com Pimentel. Juntos em uma aliança inusitada em 2008, PT e PSDB elegeram o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, do PSB. A parceria, entretanto, durou pouco. Em 2010, o PT rompeu com Lacerda e lançou, sem sucesso, Patrus Ananias candidato a prefeito da capital. Pimentel e Aécio dizem sempre que não se arrependem da aliança.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave