Interior tem rodízio e prejuízo

Formiga contabiliza perdas de R$ 15 milhões e suspende aulas; Juiz de Fora adota racionamento

iG Minas Gerais | ludmila pizarro |

Prejuízo. Rodrigo Amorim disse que falta água em seu pet shop, no bairro Padre Eustáquio, em BH
JOAO GODINHO / O TEMPO
Prejuízo. Rodrigo Amorim disse que falta água em seu pet shop, no bairro Padre Eustáquio, em BH

Juiz de Fora, na Zona da Mata do Estado, começa nesta sexta um rodízio no abastecimento de água. A medida foi tomada, segundo a prefeitura da cidade, devido à situação crítica da represa de São Pedro, que opera com seu nível próximo de zero.

“O bairro de São Pedro fica na parte alta da cidade e, como a represa que o atende está praticamente seca, ele está ficando prejudicado”, explica Marcelo Mello do Amaral, diretor de desenvolvimento e expansão da Companhia de Saneamento Municipal (Cesama). A represa Dr. João Penido, que também atende Juiz de Fora, está com 26% de sua capacidade e a adutora de Chapéu d’Uvas, inaugurada em agosto deste ano, tem 40% de sua capacidade, um índice normal para o período do ano, segundo Marcelo Amaral. O rodízio que já está definido até a próxima sexta-feira deve ser mantido pelo menos pelas próximas três semanas. Os bairros que ficarão sem receber água de 8h às 18h podem ser conferidos no site www.cesama.com.br. Segundo o diretor da Cesama, se não chover, entretanto, o rodízio será estendido por mais tempo. As altas temperaturas e a falta de consciência de alguns moradores agravam a situação no município. “Tivemos recordes de temperatura na cidade nas últimas semanas, chegando a 38ºC, o que aumenta o consumo. Além disso, alguns cidadãos continuam utilizando água para lavar as ruas. Fui conversar com uma moradora que estava hoje (nesta quinta) lavando o passeio com mangueira e ela me disse que, se estava pagando pela água, poderia utilizar”, critica Amaral. Formiga. Já o município de Formiga, que decretou Estado de Calamidade Pública, conforme divulgou O TEMPO nesta quinta, já sofreu um prejuízo de R$ 15 milhões na produção de alimentos e criação de gado em função da seca, segundo um estudo feito pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG). O engenheiro agrônomo da Emater, Lacir Rowilson Dutra, afirma que as regiões mais prejudicadas estão na bacia das nascentes do rio Formiga. “Esses prejuízos vêm se acumulando desde janeiro, devido à estiagem, e incluem prejuízos na produção de milho, soja, feijão, café, e produção pecuária, como no leite devido à falta de pasto. Com o agravamento da seca, os maiores prejudicados são os produtores de hortaliça, devido à escassez de água”, diz Dutra. “A prioridade absoluta neste primeiro momento é garantir o abastecimento de água para as necessidades básicas. Mas estamos atentos também à situação dos produtores no município”, comentou o prefeito Moacir Ribeiro. O município de Formiga, a partir da próxima segunda-feira, suspenderá as aulas das escolas municipais, em função do abastecimento de água. Mas as creches municipais funcionarão.

Planejamento 2015. A Cesama, de Juiz de Fora, irá inaugurar no primeiro trimestre de 2015, uma nova estação de tratamento no município e uma sub-adutora na represa de São Pedro. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave