Justiça volta a negar a liberdade de homem que deu cotovelada em jovem

Anderson Lúcio de Oliveira, de 35 anos, conhecido como Tingo, foi preso depois de agredir com uma cotovelada uma mulher de 30 anos, em São Paulo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Justiça voltou a negar o pedido de liberdade feito pela defesa do comerciante Anderson Lúcio de Oliveira, de 35 anos, conhecido como Tingo. Ele foi preso depois de agredir com uma cotovelada uma mulher de 30 anos, em 16 de agosto, durante uma discussão em uma rua de São Roque (a 66 km de São Paulo).

A decisão da última segunda-feira (6) é liminar (decisão provisória) e o mérito do pedido de liberdade ainda deverá ser julgado. O novo advogado do rapaz, Luiz Pires de Moraes Neto, disse, no entanto, que já prepara o pedido para ingressar agora no STJ (Superior Tribunal de Justiça). Essa foi a segunda vez que a Justiça paulista negou habeas corpus de Oliveira.

Para o advogado, a decisão atual não foi uma surpresa já que o desembargador Juvenal Duarte, relator do processo, já tinha sinalizado para isso, em decisões anteriores. Moraes Neto, porém, afirma que a prisão cautelar não cabe ao caso uma vez que Oliveira é réu primário, tem bons antecedentes e não há evidências de que tenha tentado atrapalhar o andamento do processo.

Na decisão de segunda, o desembargador apontou haver "necessidade de manutenção do encarceramento preventivo, notadamente em razão da extrema gravidade do caso concreto, marcado pela agressão covarde à ofendida, que somente não resultou em sua morte porque recebeu pronto atendimento médico".

A auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar foi agredida quando estava com um grupo de amigos na saída do São Roque Clube, onde ocorria o baile de aniversário da cidade. Após a cotovelada, ela caiu no chão, bateu a cabeça e ficou desacordada. Ela recebeu alta do hospital em 1º de setembro, após 15 dias internada.

Oliveira foi preso logo após a agressão por conta de uma prisão temporária. No mês passado, porém, foi decretada a prisão preventiva dele, o que o levará a permanecer preso até o julgamento. A primeira audiência de instrução do caso está marcada para 11 de novembro. Imagens do circuito interno de uma loja, obtidas pela TV Bandeirantes e divulgadas durante o jornal "Brasil Urgente", mostram a agressão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave