Atirador de elite tirou "selfie" durante sequestro em Brasília

O policial fotografou-se em um local que aparentemente seria o alto de um prédio, enquanto um homem era mantido refém

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ao fundo da foto é possível ver outro policial em posição, durante operação da polícia
Reproduação/Internet
Ao fundo da foto é possível ver outro policial em posição, durante operação da polícia

Um dos atiradores de elite fotografou-se enquanto um mensageiro do hotel Saint Peter era mantido refém por um homem, na última segunda-feira (29). Na 'selfie', o policial aparece em um local, que seria no alto de um prédio, e ao fundo, é possível ver outro policial, posicionado para atirar.

A Polícia Civil do Distrito Federal anunciou que vai investigar o vazamento da imagem na internet. Um inquérito deve ser protocolado e levado até a Corregedoria, que ficará responsável por identificar e punir os culpados de disponibilizarem a foto. As informações foram divulgadas pelo portal G1. 

Prisão decretada

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios decretou nesta quarta-feira (1°) a prisão preventiva de Jac Souza dos Santos que, na última segunda-feira (29), como hóspede em um hotel na área central de Brasília, manteve, por quase oito horas, um homem refém portando armamentos fictícios.

Na terça-feira (30) Jac já havia informado que o artefato não era uma bomba, não tinha poder letal e foi fabricado durante meses. “O material não passa de um pouco de cimento, pó de serragem de madeira e cola. Os fios eram para lembrar um sistema explosivo”, disse.

Jac responde pelo crime de cárcere privado além de ter causado à vítima grande sofrimento psicológico. Se condenado pode cumprir pena que varia de dois a oito anos de reclusão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave