Triumph lança Tiger Sport por R$ 45.990

Com motor de 125 cv, versão completa a linha Adventure no país

iG Minas Gerais | Raphael Panaro |

Triumph Tiger Sport
Triumph/Divulgação
Triumph Tiger Sport

A Triumph não entrou para brincar no mercado brasileiro de motocicletas. A tradicional marca britânica desembarcou por aqui em 2012 com uma boa oferta de produtos, fabricação nacional e, acima de tudo, planejamento. No ano passado, chegou mais uma leva de modelos, e a Triumph emplacou 2.500 unidades. Em 2014, ja são quase 3.000 motos comercializadas – de janeiro a agosto. E ainda “surfando” na onda do bom momento do mercado de alta cilindrada, a fabricante aproveitou para adicionar mais um modelo a sua gama – o 16°. Trata-se da Tiger Sport, o último e mais esportivo membro da família Adventure.

A nova moto, montada em Manaus (AM), chega para cumprir algumas funções. Com o preço de R$ 45.990 e motor de 1.050 cc, a versão Sport preenche a lacuna de valor e cilindrada entre a Tiger 800 e a variante XC – R$ 36,9 mil e R$ 39.990 – e a Tiger Explorer 1.200 acompanhada da configuração XC – R$ 59.990 e R$ 63.990. Outra meta é fazer frente à nova Suzuki V-Strom e também à Kawasaki Versys, ambas de 1.000 cc. Além disso, a recente integrante da linha Adventure é essencial para o sucesso comercial da marca por aqui.

A Tiger Sport tem a missão de emplacar pouco mais de 30 unidades mensais – em um ano que a Triumph promete entregar 4.500 motocicletas.

Diferenças

Para atingir esses números, a Tiger Sport sofreu pequenas mudanças em relação à antecessora Tiger 955. A começar pelo motor. Para o motociclista “devorar” quilômetros de estrada ou mesmo usar a moto no dia a dia, a marca inglesa escolheu o tricilíndrico de 1.050 cc, duplo comando no cabeçote e refrigeração líquida – mesmo da esportiva Speed Triple. A potência é de 125 cv a 9.400 rpm, enquanto o torque fica em 10,6 kgfm a 4.300 giros. Os engenheiros da Triumph recalibraram a injeção eletrônica de combustível e conseguiram deixar a Tiger Sport 7% mais econômica.

Para aliar a “pegada” esportiva, mas com um toque de touring, a moto ganhou na ergonomia. O assento do piloto é 5 mm mais baixo e mais estreito na frente, o que reduziu substancialmente a distância do chão – uma estratégia que tornou a moto mais acessível a um número muito maior de pilotos. O assento é mais extenso, para criar mais espaço aos pilotos mais altos. O guidão também teve a altura reduzida e está mais próximo de quem comanda a Tiger. Além de melhorar a vida do piloto, o garupa merece uma atenção especial. O assento traseiro é rebaixado, e a posição do carona é totalmente atrás do piloto – para melhor proteção contra o vento.

A estrutura traseira – balança unilateral –, além de dar uma estética mais esportiva, ainda permite o encaixe de bagageiros opcionais maiores, capazes de armazenar um capacete integral, com o dobro da carga dos anteriores. A Triumph oferece a Tiger Sport em duas combinações de cores: branca e preta e vermelha e preta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave