Tarcísio e Fidélis apresentam gastos mais modestos

A maior parte dos gastos de Fidélis – R$ 3.000 – foi com repasses para outros candidatos

iG Minas Gerais | Larissa Veloso |

Enquanto os candidatos no topo das pesquisas de intenções de votos apontam gastos milionários, as campanhas de Tarcísio Delgado (PSB) e Fidélis Alcântara (PSOL) são mais modestas em suas declarações. Nas contas do primeiro, o que mais chama a atenção é o grande volume de lançamentos com “serviços prestados por terceiros”, que somam R$ 617 mil dos cerca de R$ 1 milhão da campanha.  

De acordo com a assessoria da coligação de Tarcísio, grande parte desse montante foi gasta com a contratação de serviços de marketing e advocacia. Nos números disponibilizados pelo TRE, é possível ver que os recursos foram recebidos pela Albergaria Advogados Associados e pela Fúria Comunicação e Marketing de Guerrilha Ltda.

Já a campanha de Fidélis declarou uma “baixa de recursos estimáveis” de R$ 650. Desses, R$ 175 correspondem a uma doação feita pelo PSTU. O partido, de acordo com a assessoria da campanha de Fidélis, teria feito uma doação ao PSOL em forma de exposição em um folheto de campanha. Os R$ 475 restantes, afirmou o PSOL, são referentes à prestação de serviços de um advogado, que doou seu tempo de trabalho à campanha.

A maior parte dos gastos de Fidélis – R$ 3.000 – foi com repasses para outros candidatos. O segundo maior montante de lançamentos, no total de R$ 2.550, foi com “publicidade por materiais impressos”, por meio da gráfica Folheto Fácil Ltda. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave