Torcida do Palmeiras protesta contra Dilma ao fim de jogo

Inicialmente marcado para as 16h, o jogo teve seu horário alterado para às 11h a pedido da Secretaria de Segurança Pública, em virtude dos protestos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Boa parte dos mais de 26 mil torcedores presentes ao estádio do Palmeiras para acompanhar a partida contra o XV de Piracicaba, na manhã deste domingo (15), fez mais do que comemorar a vitória do time da casa por 1 a 0.

Logo após o juiz apitar o final da partida, um grito ofensivo contra a presidente Dilma Rousseff tomou conta do estádio. O coro "Ei, Dilma, vai tomar no c..." se espalhou rapidamente por todos os setores.

Inicialmente marcado para as 16h, o jogo teve seu horário alterado para às 11h a pedido da Secretaria de Segurança Pública, em virtude dos protestos contra a presidente agendados para a tarde deste domingo na Capital.

O técnico do Palmeiras, Oswaldo de Oliveira, queixou-se da mudança do horário, mas declarou apoio às manifestações -não necessariamente ao seu conteúdo.

"Não gostei da mudança do horário, mas aceito, porque acho que o motivo é muito louvável. Essa reação do nosso povo é muito importante que aconteça. Se tiver que mudar mais jogos de horário por causa disso, vou aceitar e procurar me adaptar", disse o técnico.

"Nosso país vive um momento de transição democrática, que precisa se adaptar, e precisa que nós, o povo, nos sacrifiquemos, para que o país encontre um caminho e um destino, para que as camadas da sociedade sejam satisfeitas", afirmou Oswaldo de Oliveira.

Leia tudo sobre: futebol nacionalcampeonato paulistapalmeirasverdãoprotestosdilma