Protestos em 16 Estados pedem de impeachment a intervenção militar

Grande parte dos manifestantes vestia as cores verde e amarelo e ostentava a bandeira do Brasil; gritos de "Fora Dilma", além de ofensas contra a presidente, também foram comuns

iG Minas Gerais | Folhapress |

Cidadades - Belo Horizonte -  Minas Gerais
Manifestacao a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff e fora o partido PT , em Belo Horizonte na praca da Liberdade .

Foto: Uarlen Valerio / O Tempo 15-03-2015
UARLEN VALERIO / O TEMPO
Cidadades - Belo Horizonte - Minas Gerais Manifestacao a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff e fora o partido PT , em Belo Horizonte na praca da Liberdade . Foto: Uarlen Valerio / O Tempo 15-03-2015

Manifestações contra o governo de Dilma Rousseff alcançaram 16 Estados, além do Distrito Federal, durante a manhã deste domingo (15). Há novos atos programados para o período da tarde em boa parte do país.

Os manifestantes exibiam faixas com mensagens que pedem o impeachment da presidente, intervenção militar, o afastamento do PT do poder e críticas à corrupção na Petrobras. Gritos de "Fora Dilma", além de ofensas contra a presidente, também foram comuns.

Grande parte vestia as cores verde e amarelo e ostentava a bandeira do Brasil. O hino brasileiro foi entoado diversas vezes. Até as 13h deste domingo, não houve relatos de confrontos ou vandalismo.

Ribeirão Preto, no interior paulista, reuniu uma das maiores manifestações. Segundo a PM, pelo menos 40 mil pessoas lotaram 13 quarteirões da cidade em ato que concentrou empresários, estudantes e aposentados.

O cenário foi semelhante em Belo Horizonte. Segundo a Polícia Militar, por volta das 12h, mais de 24 mil pessoas se aglomeravam na Praça da Liberdade. Segundo os organizadores, o número chegou a 35 mil. Na capital mineira, foram vistas várias faixas contra deputados e senadores, além de pedidos de pena de morte para ladrões, traficantes, corruptos e corruptores.

A marcha em Belo Horizonte seguiu até o Palácio da Liberdade, uma das sedes do governo mineiro. Os manifestantes entoaram gritos contra o governador Fernando Pimentel (PT). No carro de som, um homem dizia que Pimentel levaria o recado até Dilma.

O do Rio de Janeiro reuniu Reuniu 50 mil manifestantes em Copacabana, segundo os organizadores, ou 15 mil, segundo estimativa da PM por volta de 10h30 -o número não foi atualizado.

À tarde haverá novo protesto no Centro, a partir das 16h, convocado pelo movimento Legalistas, que defende intervenção militar. A expectativa é que seja menor que o da manhã.

Em Brasília, uma multidão tomou o gramado em frente ao Congresso Nacional. A Polícia Militar do Distrito Federal estima em 40 mil pessoas o público que foi à manifestação. Os organizadores do protesto dizem que cerca de 100 mil foram à Esplanada dos Ministérios.

Poucas pessoas que participam da manifestação em Brasília defenderam medidas radicais, como a intervenção militar.

NORDESTE                                                                                                                                                           No Recife, o ato reuniu cerca de 5.000 pessoas, segundo a PM. A avenida Boa Viagem foi quase toda ocupada pela manifestação. Um boneco gigante vestido de juiz com uma mangueira fazia referência ao juiz Sérgio Moro, que atua no caso investigação pela Operação Lava Jato. Um morador de edifício na orla de Boa Viagem exibiu uma bandeira vermelha e foi vaiado pelos manifestantes.

Na capital baiana, cerca de 7.000 pessoas, segundo a polícia, participaram do protesto. Os manifestantes exibiram bonecos de Olinda -um deles do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa. Em Belém, a polícia estima em 15 mil pessoas o ato que reuniu, também, maçons e sindicatos.

SUL E SP Já em Porto Alegre, a polícia teme o encontro de dois grupos. Um dos protestos pede a reforma política, mas é contrário ao impeachment. O evento chamado "coxinhaço" teve churrasco de coxinhas e foi organizado pelo Bloco da Diversidade. À tarde, está agendado protesto pelo impeachment da petista.

Manifestantes já se concentram na av. Paulista para o protesto em São Paulo contra o governo marcado para a tarde deste domingo (15). O ato está previsto para as 14h. Eles estão em frente ao Masp, onde um grupo de motociclistas chegou a bloquear a avenida. Organizadores do ato distribuem vuvuzelas gratuitamente. 

Leia tudo sobre: manifestações pelo país