Homens-bomba matam 14 pessoas em duas igrejas do Paquistão

Este é o mais recente ataque contra minorias religiosas no país; pelo menos 70 pessoas ficaram feridas no atentado

iG Minas Gerais | AFP |

Homens-bomba do Taleban paquistanês realizaram neste domingo (15) um ataque perto de duas igrejas na cidade de Lahore, no leste do Paquistão, enquanto fiéis estavam reunidos. Catorze pessoas morreram, segundo autoridades do país. Este é o mais recente ataque contra minorias religiosas no país. Na sequência do atentado, multidões de cristãos enfurecidos atacaram suspeitos de envolvimento nos ataques e incendiaram veículos. As explosões ocorreram uma logo depois da outra no bairro cristão de Youhana Abad, em duas igrejas, enquanto os fiéis participavam da missa de domingo de manhã dentro do templo. As igrejas estão a cerca de 600 metros de distância uma da outra. Pelo menos 70 pessoas ficaram feridas, disse Zahid Pervez, diretor geral provincial de saúde, que também confirmou o número de mortes. Uma testemunha não identificada disse à televisão paquistanesa Geo que o portão principal de uma das igrejas foi fechado, por isso as pessoas estavam usando um portão menor. "Um homem-bomba explodiu a si mesmo perto daquele portão, o que criou o caos, e, enquanto isso, houve outra explosão", disse o homem. Além dos fiéis, dois policiais que estavam protegendo as igrejas morreram nos atentados. Depois dos ataques, a violência tomou conta da região. A TV local mostrou uma multidão enfurecida batendo em uma pessoa suspeita de estar ligada ao ataque e ônibus da cidade sendo atacados. Uma pessoa morreu queimada e outra quase foi linchada, disse Haider Ashraf, vice-inspetor geral de Lahore. Um porta-voz do governo da província de Punjab condenou os ataques, mas também disse ser lamentável que a multidão havia atacado suspeitos. Ele afirmou que as autoridades estão reforçando a segurança nas outras 481 igrejas da cidade. Militantes muçulmanos parecem ter minorias como alvo recentemente no Paquistão. "Haverá mais desses ataques", advertiu Ahsanullah Ahsan, porta-voz da facção do Taleban no país, que assumiu a responsabilidade pelas explosões deste domingo, em comunicado enviado por e-mail a repórteres. O primeiro-ministro Nawaz Sharif tem a sua base de poder em Lahore. O seu partido, a Liga-N Muçulmana do Paquistão, também administra Punjab, onde irmão do premiê é o ministro-chefe. O governo provincial tem sido acusado de não fazer o suficiente para proteger as minorias religiosas e ignorar grupos extremistas que têm a província como base e incitam ódio contra as minorias.