Conversa entre Dilma e Lula na terça foi “ríspida”

Ex-presidente teria dito que Pepe Vargas “não serve pra nada”

iG Minas Gerais |

Clima. Apesar dos desencontros, Lula e Dilma têm sustentado a “parceria” na frente das câmeras
ERALDO PERES
Clima. Apesar dos desencontros, Lula e Dilma têm sustentado a “parceria” na frente das câmeras

Brasília. A reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, na noite da última terça-feira, não ocorreu em clima de bons amigos. Segundo reportagem do jornal “O Globo”, eles se encontraram para tentar acertar os rumos do governo, mas tiveram uma conversa “ríspida”.

Ministros que aguardavam os dois para um jantar após a reunião a portas fechadas se surpreenderam com o tom de voz elevado. O motivo principal do desentendimento foi a equipe de coordenação política do governo federal.

“Esse Pepe não serve para nada”, teria dito Lula, de acordo com um dos presentes, em referência ao ministro das Relações Institucionais Pepe Vargas. O ex-presidente teria chegado “pilhado” no Alvorada, segundo participantes da reunião, e se exaltado ao conversar a sós com Dilma, antes do jantar.

Estavam no Alvorada os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Jaques Wagner (Defesa), Miguel Rossetto (Secretaria Geral) e o presidente do PT, Rui Falcão.

Além da substituição de Vargas, Lula teria defendido que Mercadante se concentrasse na gestão do governo e não tivesse mais atribuições políticas. Lula lembrou que quando Dilma chefiava a Casa Civil em seu governo, a pasta tinha perfil técnico. Considerado sem jogo de cintura, Mercadante é alvo de queixas do PT e do PMDB.

Mesmo com a pressão de Lula, integrantes do governo e do PT não acreditam que a atuação de Mercadante ficará restrita a acompanhar a execução dos programas do governo e nomear cargos de segundo escalão. “Ela (Dilma) pede a ajuda dele, ele é o mais próximo dela. Ela confia no Mercadante e isso não vai mudar”, disse um integrante do governo.

No dia seguinte ao jantar, a Secretaria de Imprensa da Presidência divulgou uma nota negando o “rumor” de que Lula tenha sugerido a troca na Casa Civil. “O ministro Aloizio Mercadante tem total confiança da presidenta e seguirá cumprindo suas funções à frente da Casa Civil”, disse trecho da nota.

O ex-presidente gostaria que Dilma substituísse Pepe Vargas por um nome mais experiente e que não fosse do PT. Ao defender sua tese, Lula elogiou o trabalho de José Múcio e do mineiro Walfrido dos Mares Guia, do PTB, que foram responsáveis pelas relações institucionais em seu governo. Lula também teria recomendado a Dilma dar mais missões políticas para Jaques Wagner e Ricardo Berzoini (Comunicações), ambos petistas.

“PT está longe de ser remodelado”, diz Tarso Brasília. O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro disse neste sábado que está trabalhando para que as transformações que ocorrem atualmente no PT se deem de maneira mais aguda. “Já conseguimos um nível de estabilidade melhor no partido, mas ele está longe de ser remodelado e de aprender as lições da época, que todos os partidos têm que aprender sob pena de se tornarem mais conservadores em vez de partidos de mudança”, afirmou o petista. Apesar de negar que haja crise interna no partido, o presidente do PT, Rui Falcão, reconheceu que a sigla precisa de “ajustes” e disse que o congresso do partido, em junho, servirá para isso. “Vamos tomar medidas de ajuste, renová-lo (o PT). O Brasil muda, o PT muda com o Brasil”, falou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave