Famosas apostam em métodos bizarros

No Brasil, artistas e subcelebridades não ficam atrás na corrida sem limites rumo à beleza

iG Minas Gerais | Luísa Loes |

Kim Kardashian postou foto de tratamento que utiliza sangue
reprodução / Twitter
Kim Kardashian postou foto de tratamento que utiliza sangue

A utilização do CandyLipz não é a primeira polêmica em torno de métodos de embelezamento envolvendo a família dos Kardashian. Em 2013, a socialite Kim Kardashian foi notícia ao postar uma foto com o rosto coberto de sangue. Conhecido como Vampire Facelift (ou Facelift do Vampiro), o procedimento consiste em tirar sangue da própria paciente, separar as plaquetas e aplicá-las por meio de pequenas agulhas na pele do rosto.

Outra adepta de produtos de origem humana para maximização da beleza é a multimilionária Oprah Winfrey. Um dos cremes de beleza favoritos da apresentadora norte-americana, o TNS Recovery Complex, do laboratório Skin Medica, promete estimular a produção de colágeno e firmar a pele a partir de um ingrediente especial: o prepúcio (pele que é cortada na circuncisão) de recém-nascidos.

No Brasil, artistas e subcelebridades não ficam atrás na corrida sem limites rumo à beleza. A assistente de palco Sabrina Boing Boing possui dois litros de silicone em cada seio, e, para ficar com a cintura mais fina, em 2006 a funkeira Tati Quebra Barraco retirou duas costelas.

Riscos. Essa busca desenfreada por beleza muitas vezes tem um preço alto: a própria vida. Ao menos uma pessoa morre por mês em cirurgias plásticas no país. Casos de infecção por produtos tóxicos também são recorrentes.

Depois de quase três meses internada por causa de uma infecção nas pernas pelo uso de hidrogel, a assistente de palco Andressa Urach passou por nova cirurgia no último dia 1º para drenar a secreção inflamatória que, depois de afetar as pernas, passou a atingir seu glúteo esquerdo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave