Entre o irônico e o político

Ao seu modo, Gilberto Braga entrelaça ambição e classes sociais em “Babilônia”, folhetim que estreia amanhã

iG Minas Gerais | geraldo bessa tv press |

Trio. Adriana Esteves, Camila Pitanga e Glória Pires protagonizam a nova novela das nove da Globo, vivendo mulheres de diferentes classes sociais
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Trio. Adriana Esteves, Camila Pitanga e Glória Pires protagonizam a nova novela das nove da Globo, vivendo mulheres de diferentes classes sociais

Gilberto Braga tem um texto muito peculiar. Ele é conhecido pelos diálogos longos, fortes e rascantes, a abordagem irônica e política sobre a sociedade – principalmente sobre a parcela mais abastada. E, sobretudo, pela criação de grandes figuras femininas. O estilo talhado ao longo de quatro décadas de TV virou uma espécie de grife. Sendo assim, o público exige e espera sempre o melhor do autor. De olho na fama que construiu, Gilberto entrega em “Babilônia”, trama que estreia amanhã, o melhor de seu universo, aliado a boas doses de novidades. “Cada autor tem um jeito de escrever. Sei que tenho o meu, mas não quero parar no tempo. Surpreender o público ainda é a parte mais complexa e gostosa do trabalho. Assim como em outras tramas minhas, a ambição move todos os personagens. O que muda é o jeito de contar”, entrega ele, que divide a autoria com Ricardo Linhares e João Ximenes Braga.

A trama de “Babilônia” entrelaça as histórias de Beatriz, Inês e Regina, protagonistas de Gloria Pires, Adriana Esteves e Camila Pitanga, respectivamente. O trio evidencia também as relações entre classes sociais distintas que se encontram no microcosmo do bairro do Leme, no Rio de Janeiro. “A escolha da região foi contundente para o desenvolvimento da história. Lá, temos a orla, onde mora a Beatriz e o núcleo rico, o meio do bairro, onde está Inês e a representação da classe média, e o Morro da Babilônia, que se relaciona com a região de forma pulsante e deu nome à novela”, analisa Ricardo Linhares.

Com direção de Dennis Carvalho e previsão de aproximadamente 170 capítulos de duração, “Babilônia! é um típico novelão das 21h. E carrega em seus bastidores toda a pompa dedicada pela Globo ao horário. Com o esquema de pré-produção cada vez mais antecipado, o trabalho do trio de autores começou em meados de 2013. A partir da sinopse da trama, eles e o diretor logo escalaram os nomes de Gloria e Camila, velhas conhecidas do universo de Braga. A novidade fica por conta de Adriana Esteves, que ainda não tinha trabalhado com o autor. “O convite foi muito surpreendente. Sempre adorei as novelas dele, mas nunca nos aproximamos. Nem precisei ler o roteiro para dizer sim. Mas, ao ler, não me decepcionei. Inês é aquela personagem complexa que toda atriz deseja”, valoriza Esteves.

A partir das protagonistas, outros nomes familiarizados com os autores e o diretor foram reservados, como Fernanda Montenegro, Cássio Gabus Mendes, Nathalia Timberg e Herson Capri. Em tempos de elencos cada vez menores, “Babilônia” sinaliza uma volta ao passado e trabalha com mais de 60 atores em sua trama. “Se tem história para contar, não importa muito o tamanho do elenco. Acho que estamos trabalhando bem todos os núcleos e vamos estrear com uma frente de cerca de 25 capítulos”, conta Dennis. As gravações começaram pelas tradicionais viagens para fora do país. Em meados de novembro do ano passado, o diretor e cerca de 20 membros da equipe foram para Dubai, nos Emirados Árabes. Em seguida, 40 pessoas da equipe foram escaladas para as gravações em Paris, na França. A grande preocupação da equipe de direção foi fugir de pontos turísticos e lugares óbvios das duas cidades. “São cenas que fazem parte do primeiro capítulo da novela. Tudo tinha de ser muito especial. Levamos muitas malas de equipamentos e figurinos. Passamos calor e frio, mas o resultado valoriza e está a favor da história”, analisa Maria de Médicis, diretora geral da trama.

De volta ao Rio de Janeiro, a equipe trabalha com seis equipes de gravação desde o início do ano. Para dar um ar mais real às sequências, a direção preferiu gravar em pleno bairro do Leme boa parte das cenas, mas não contava com o forte calor do verão carioca. “A gente passou a gravar de manhã bem cedo para evitar se expor ao sol do meio-dia”, conta Camila Pitanga. Outro ponto de dificuldade foi montar o ambiente da praia. Cadeiras, barracas, bebidas, óculos, biscoitos e outros itens que costumam ser vendidos no local foram criados pela equipe de produção de arte da trama.

Quem é quem

Beatriz (Gloria Pires)

Evandro (Cássio Gabus Mendes)

Carlos Augusto (Bruno Gissoni)

Estela (Nathalia Timberg)

Teresa (Fernanda Montenegro)

Rafael (Chay Suede)

Pedro (André Bankoff)

Carlos Alberto (Marcos Pasquim)

Inês (Adriana Esteves)

Homero (Tuca Andrada)

Alice (Sophie Charlotte)

Regina (Camila Pitanga)

Diogo (Thiago Martins)

Dora (Virgínia Rosa)

Cristóvão (Val Perré)

Vinícius (Thiago Fragoso)

Olga (Lu Grimaldi)

Murilo (Bruno Gagliasso)

Cristiana (Tainá Müller)

Bento (Dudu Azevedo)

Aderbal (Marcos Palmeira)

Maria José (Laila Garin)

Consuelo (Arlete Salles)

Luís Fernando (Gabriel Braga Nunes)

Karen (Maria Clara Gueiros)

Zélia (Rosi Campos)

Norberto (Marcos Veras)

Úrsula Andressa (Rogéria)

Rubi (Rodrigo Fagundes)

Paula (Sheron Menezzes)

Valeska (Juliana Alves)

Osvaldo (Herson Capri)

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave