Ministro da Fazenda ameaçou se demitir

Em nota à imprensa, o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, entretanto, desmentiu a ameaça de demissão

iG Minas Gerais |

Brasília. O risco de o ajuste fiscal ficar comprometido por causa da derrubada de um veto presidencial levou o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a fazer um desabafo de que, neste caso, preferia pedir demissão. A ameaça foi feita na última quarta-feira, quando o Congresso estava prestes a derrubar o veto de Dilma à prorrogação até 2042 dos subsídios sobre a energia elétrica para grandes empresas do Nordeste.

A manutenção do subsídio provocaria um custo extra de R$ 5 bilhões nas contas do Tesouro neste ano, tornando mais difícil cumprir a meta de superávit primário de 1,2% do PIB.

Ao colocar a votação do veto na pauta de quarta-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tentou pegar de surpresa o governo. Acionados de emergência, ministros levaram a Renan e a senadores governistas a mensagem de que a queda do veto poria em risco o ajuste fiscal e estava levando o ministro Joaquim Levy a pedir demissão.

Em nota à imprensa, o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, entretanto, desmentiu a ameaça de demissão. “Uma total inverdade que ele nega com veemência”, afirma a nota do ministério.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave