Donos em BH já baixam preços para desovar imóveis

Para quem quer comprar, hora é muito boa para negociar

iG Minas Gerais | Ludmila pizarro |

Promoção. 
Faixa no bairro Silveira, na região Nordeste, anuncia um mês grátis para quem alugar
LEO FONTES / O TEMPO
Promoção. Faixa no bairro Silveira, na região Nordeste, anuncia um mês grátis para quem alugar

O momento é de negociar para quem quer comprar um imóvel em Belo Horizonte. Proprietários já se mostram cansados de ver os imóveis vazios. É o caso do músico Fabiano de Menezes Bizzotto que está dando 25% de desconto no preço de um apartamento de cerca de 100 m² no bairro Serra. Ele tenta vender o imóvel há cerca de dois anos. “Baixamos o preço justamente para ver se a venda sai. O mercado, com certeza, não está aquecido como antes”, diz.

Pensando em vender rápido, a administradora Adriana Torres Ferreira baixou o preço de três imóveis recebidos como herança e conseguiu vender dois – uma casa em Lagoa Santa e um apartamento na região da Savassi – em quatro meses. “Negociei pelo valor mínimo da avaliação das imobiliárias. Acho que era o preço justo por eles”, opina Adriana.

Segundo pesquisas realizadas com cerca de 60 construtoras da capital mineira pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), houve uma queda de 50,5% no número de unidades vendidas entre 2010 e 2014. Porém, os preços ainda não apresentaram queda. De acordo com a pesquisa Fipe/Zap, em fevereiro deste ano o preço de venda dos imóveis anunciados em Belo Horizonte subiu 0,26% em comparação a janeiro. Índice menor do que a inflação da capital no mesmo período de 0,57% segundo o Ipead/UFMG.

Adriana Ferreira também pretende comprar uma casa e diz que ainda aguarda por preços mais competitivos. “Comecei a buscar uma casa para comprar há um ano atrás, mas os preços estavam abusivos. Recebi esta herança e optei por primeiro vender estes imóveis para depois comprar o meu. Voltei a pesquisar em março e estou vendo os mesmo imóveis sendo anunciados. Não foram vendidos, mas o preço também não baixou”, afirma Adriana.

O designer gráfico Luiz Alberto Pimenta pretende vender uma casa no bairro Santa Branca, na região da Pampulha, e está disposto a negociar também. “Pretendo negociar para vender mais rápido”, declara.

Opiniões diferentes. Segundo o diretor da Alphasul Consultoria Imobiliária, Márcio Tavares Lanna, as negociações estão mais efetivas. “A condição está mais favorável para o comprador. Ajustes de valores, condições mais favoráveis de pagamento, e uma negociação mais agressiva, com descontos de até 12% acontecem”, afirma o diretor da consultoria.

Já para o vice-presidente da área imobiliária do Sinduscon-MG, Lucas Guerra Martins, entretanto, estas negociações são pontuais. “Estamos em um mercado em estabilização, isso pode gerar uma facilidade ou outra. Mas não é uma realidade de mercado, são negociações pontuais”, avalia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave