Bufês sentem impacto no preço final

Dos itens mais caros, ele costuma comprar com mais frequência o cardamomo e o pinhole

iG Minas Gerais |

Em bufês e restaurantes, o alto custo das especiarias salga o preço final dos pratos. O sócio do Bravo Catering, Paulo Henrique Vasconcellos, afirma que, embora as quantidades usadas sejam muito pequenas, os elevados valores acabam interferindo. “Como as especiarias são muito fortes, usamos pouco, por isso não pesa tanto no preço. Mas ainda assim encarece o prato”, afirma. Dos itens mais caros, ele costuma comprar com mais frequência o cardamomo e o pinhole. “Os cogumelos, como o funghi porcini, também são caros. Já o açafrão, bom, esse tem que fazer empréstimo no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para pagar em até 48 meses”, brinca Vasconcellos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave