Bicicleteiros fazem ação solidária

Numa espécie de protesto solidário, eles conclamaram os ciclistas a se reunirem, na praça da Estação, e a doarem comida e roupas aos sem-teto

iG Minas Gerais | João Paulo Costa |

Membros do Bicicletinha levaram nas mochilas as  doações
Wander Soares / Divulgacao
Membros do Bicicletinha levaram nas mochilas as doações

Se no Carnaval o animado bloco da Bicicletinha arrastou cerca de 400 ciclistas foliões pelas ruas da capital mineira, na noite de ontem, foi a vez do grupo de se posicionar contrariamente a uma declaração do prefeito de Belo Horizonte. Segundo eles, Marcio Lacerda teria orientado a população a não oferecer ajuda aos moradores de rua da capital. Diante disso, os integrantes criaram um evento no Facebook chamado “Bicicletinha Solidária”, que, até ontem, tinha 1.400 presenças confirmadas e quase 7.000 convidados.

Numa espécie de protesto solidário, eles conclamaram os ciclistas a se reunirem, na praça da Estação, e a doarem comida e roupas aos sem-teto. “Depois daquela declaração, sentimos a necessidade de nos posicionar e mostrar que as pessoas que transitam pelas vias de Belo Horizonte e também as que moram nelas merecem ser enxergadas. Há momentos em que a mobilidade urbana é só uma das lutas. O que nós queremos é uma cidade orgânica, que deve ser discutida sempre”, diz o membro do grupo, Túlio Castanheira, 32.

Resposta. Procurada, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da coordenadora do Comitê de Políticas para Moradores de Rua, Soraya Romina, disse que a administração municipal nunca foi contrária a qualquer iniciativa solidária. No entanto, segundo ela, a declaração de Lacerda pode ter sido mal interpretada.

“Temos um conjunto de programas voltados aos moradores de rua, e o Executivo sempre apoiou campanhas solidárias. Na fala do prefeito, ele não se posicionou contrário a ajudá-los. Ao contrário, quis dizer que uma ajuda sistemática pode agravar a permanência das pessoas nas ruas, que dificilmente sentirão a necessidade de buscar e ser acolhidas pelos programas”, afirma. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave