Realizado o 1º transplante de pênis bem-sucedido do mundo

Segundo médicos, paciente conseguiu recuperar funções sexuais e urinárias

iG Minas Gerais |

Sucesso. 
Equipe da África do Sul realizou o primeiro transplante de pênis em uma cirurgia que durou nove horas
Divulgacao / Stellenbosch Univer
Sucesso. Equipe da África do Sul realizou o primeiro transplante de pênis em uma cirurgia que durou nove horas

Joanesburgo, África do Sul. Uma equipe de médicos sul-africanos anunciou ontem ter conseguido realizar com sucesso o primeiro transplante de pênis. “Tenho o privilégio de ter participado deste primeiro transplante bem-sucedido no mundo”, declarou o professor Frank Graewe, chefe do departamento de cirurgia reconstrutiva da Universidade de Stellenbosch (sudoeste), já três meses depois da operação.

O paciente sul-africano, de 21 anos, recuperou todas as funções urinárias e reprodutivas do órgão, explicou o professor. O pênis do jovem teve que ser amputado há três anos, após uma infecção causada por uma circuncisão mal realizada durante uma tradicional cerimônia africana. O paciente foi operado no hospital Tygerberg, da Cidade do Cabo, durante nove horas, em 11 de dezembro.

O pênis transplantado foi retirado de um doador já falecido, cuja família foi cumprimentada pela equipe médica. “Nós provamos que é possível. Podemos dar a alguém um órgão tão bom quanto o que ele tinha antes”, garantiu o professor Graewe.

Mutilados. Essa operação terá especial repercussão na África do Sul, onde as infecções e a necessidade de amputação do pênis são frequentes após as cerimônias de iniciação. A circuncisão tradicional, por retirada do prepúcio, ocorre no fim da adolescência em várias culturas sul-africanas, após um período de iniciação na floresta. “Um teste de coragem e estoicismo”, explicou, em suas memórias, o falecido presidente sul-africano Nelson Mandela.

A cada ano, o país lamenta um certo número de mortos e mutilados. Entre 2008 e 2013, 486 jovens morreram após ritos de passagem para a vida adulta, o mais frequente por infecções ou gangrenas consecutivas à circuncisão. Alguns sobrevivem, mas mutilados para sempre. “Há mais necessidade para esse tipo de operação na África do Sul do que em qualquer outro lugar do mundo”, admitiu o professor Andre van der Merwe, membro da equipe cirúrgica e chefe do departamento de urologia de Stellenbosch. “Nosso objetivo era torná-lo totalmente funcional depois de dois anos, e estamos muito surpresos com a recuperação rápida”, disse ele sobre o seu paciente.

“Para um jovem de 18 ou 19 anos, a perda de seu pênis pode ser um trauma profundo”, disse o professor. Nessa idade, a vítima “pode não ter a capacidade psicológica para lidar com o trauma. Temos relatos de suicídios”. Em declarações à imprensa, o professor van der Merwe disse que o “herói” dessa história foi um doador e sua família. “Ele salvou muitas vidas, porque doaram (seu) coração, pulmões, rins, fígado, pele, córnea e pênis”, explicou.

Pioneiros

O primeiro transplante de coração da história foi realizado na Cidade do Cabo, na África do Sul, no ano de 1967, pelo professor Chris Barnard.

Na China

Trauma. Outro transplante de pênis já havia sido realizado na China em 2006. Apesar do sucesso cirúrgico, o órgão teve que ser retirado em razão de “problemas psicológicos do paciente”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave