Inusitado, mas Slash vem aí

Guitarrista faz show em casa sertaneja para promover seu terceiro álbum solo, sem deixar o Guns N’ Roses de fora

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Divulgação
undefined

De tempos em tempos, Slash vem a público rosnar sua acidez de cavaleiro obscuro do rock n’ roll: um guitarrista que há anos desistiu de se entender com vocalistas personalistas e, em voo solitário desde o início de 1990, resolveu assumir a condição de frontman da própria banda. “Tenho mais o que fazer”, resumiu, curto e grosso, em entrevista dada ao site britânico Digital Spay no ano passado, sobre sua cultuada e improvável volta ao Guns N’ Roses. É nesse personagem indiferente e aparentemente independente, apoiado pelo cantor Myles Kennedy e a banda The Conspirators, que Slash chega a Belo Horizonte amanhã, para sua primeira apresentação na capital, na inusitada casa de shows Galopeira.

Pode não ser o sonho de todo fanático por rock n’ roll ver Slash em um dos principais redutos sertanejos da cidade. Mas a visita inédita de um dos dez maiores guitarristas do mundo fará o galpão da avenida Teresa Cristina trocar corpos esbeltos revestidos de camisas xadrez e saltos altos por cabeludos suados e meninas roqueiras de blusas pretas estilizadas com o rosto do guitarrista.

Aos 49 anos, Slash ainda mantém resquícios de um ego incendiário produzido nas décadas de 80 e 90, com declarações polêmicas e atitudes insanas. Sua carreira solo ilustra bem isso. Depois de sua saída do Guns N’ Roses, em 1993, ele alcançou aplausos com a Slash’s Snakepit, mas aguentou apenas cinco anos de banda. Em seguida, a aclamada Velvet Revolver durou somente três anos até explodir em uma briga com o cantor Scott Weilland (ex-vocalista do Stone Temple Pilots), demitido por Slash e rotulado como “um monte de merda” pelo guitarrista.

Ao mesmo tempo em que não consegue conter suas erupções vulcânicas, Slash soube manter uma criatividade vital com sua inseparável Gibson Les Paul. Desde as parcerias com Michael Jackson – ainda que negue participação no famoso riff de “Black Or White”, em 1991 – até shows com Alice Cooper e Ronnie Wood, dos Rolling Stones, ele é cultuado pelo rock.

SHOW. Em tempos contemporâneos, Slash retorna ao Brasil para uma miniturnê do seu terceiro álbum solo, “World Of Fire” (NRG Studios), previsto para ser lançado em 10 de setembro com 17 canções inéditas. O show deve seguir o roteiro do Rio de Janeiro, onde o guitarrista se apresenta hoje ao lado de Myles Kennedy e a banda The Conspirators.

Apesar de dividir o palco com quatro músicos, Slash não abre mão de ser o centro das atenções. Questionado se seu grupo atual é uma banda ou um projeto com data de validade determinada, ele deixou clara sua personalidade de não se submeter a ninguém, em entrevista à revista italiana “Chitarre”, no ano passado. “Definitivamente está mais para uma banda, e como isso tem relação comigo como um artista solo é justo que eu apresente as músicas e comande a banda”, disse, lembrando que o nome completo da sua banda é Slash Featuring Myles Kennedy & The Conspirators.

No palco, além dos novas canções que vão do blues ao metal, como “Shadow Life” e “Beneath the Savage Sun”, Slash deve continuar a atender o público e tocar algumas clássicas do Guns N’ Roses, como “Sweet Child O’ Mine”, “Paradise City”, “You Could Be Mine” e “Mr. Brownstone” – presentes em vários dos seus shows com a banda The Conspirators.

FILMES. Além da dar sequência à carreira solo, recentemente Slash também tem se dedicado a produzir filmes de terror. Desde 2010, ele é dono da Slasher Films – uma pequena empresa focada em produções aprovadas pelo guitarrista. Até hoje, sua produtora lançou apenas um longa de terror intitulado “Nothing Left to Fear” (2013), dirigido por Anthony Leonardi, que trabalhou em “Rango” e “47 Ronin”.

Agenda
  • O QUE. Slash Featuring Myles Kennedy & The Conspirators divulgam o álbum “World Of Fire”.
  • ONDE. Galopeira (avenida Tereza Cristina, 179, Prado)
  • QUANDO. Amanhã, com abertura da casa às 20h e previsão de início do show apenas às 21h30
  • QUANTO. Os ingressos para área vip estão esgotados. Só é possível adquirir entradas para pista ao preço de R$ 120 (meia) e R$ 240 (inteira)
  • Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave