Coragem, presidente

iG Minas Gerais | Paulo Bressane |

Paulo Guedes: A crise contemporânea e o pensamento liberal
Arquivo PB
Paulo Guedes: A crise contemporânea e o pensamento liberal

Dilma nada mais fez do que dar continuidade a sua política de encenação, no pronunciamento do último domingo. É certo que moralmente o governo petista já está falido, mas dar continuidade ao cinismo sem uma autocrítica sequer aos tremendos erros de seu governo, com a costumeira vitimização de jogar a culpa nos outros, foi perder uma ótima oportunidade de tentar unir o país em um discurso afinado com a verdade.

O Brasil começou a desmoronar ainda no primeiro governo Lula, que fez caixa com nossas commodities durante o elevado crescimento global, mas perdeu uma oportunidade histórica de desenvolver a indústria nacional e firmar bases sólidas para o desenvolvimento e a produtividade econômica. Ao optar pela gastança do estatismo irresponsável, Ludilma agora colhe inflação, desemprego, indisciplina fiscal, baixa produtividade e descrédito internacional.   Enquanto o mundo sucumbia com a crise econômica de 2008, o governo petista abusava dos bancos públicos, usando-os como indutores do crescimento, e expandindo o crédito para um compra-compra, desenfreado de carros, TVs, geladeiras e outros bens que caracterizam uma falsa prosperidade. Ao mesmo tempo, com algumas canetadas abastecidas pela tinta dos mensalões e petrolões, queimava nosso dinheiro em obras faraônicas, improducentes e superfaturadas. Desnecessário falar sobre os bilhões que investiram nas terras de seus amigos ditadores e socialistas. Lembrando um dito de Margareth Thatcher: “O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros”, se o governo sabe que nosso dinheiro está acabando, deveria saber que não há mais espaço para experimentos econômicos e muito menos para truques contábeis.   Coragem presidente, chega de mentiras, a economia do país está em jogo, mostre a todos que ainda há tempo de corrigir seus erros. A senhora sabe que não foi a crise mundial que destruiu nossa economia, mas sim os governos petistas que jogaram por terra os fundamentos mais básicos da economia. Mas é hora de nos unirmos contra um desastre maior, então resista ao radicalismo de seu partido e aliados, respeite as regras de mercado, não gaste mais do que arrecada, seja forte para iniciar uma reforma política e dar um basta nesta pajelança. Um mea culpa não é ato desmoralizante, desprezar o livre mercado sim – como disse Lula “esse tal de mercado nunca votou em mim” – pois um mercado forte sem interferência estatal, é um caminho seguro para organizar a economia e fomentar a prosperidade social.   ENTRE A  GENTE   Tomou posse a nova diretoria do Instituto de Formação de Líderes, que tem nesta gestão 2015, Deborah Roichman, como Presidente, Glenda Antunes, como Diretora Institucional, Bruno Maschtakow, como Diretor Financeiro, Gabriel Junqueira, como Diretor de Formação, Guilherme Moretzsohn, como Diretor de Comunicação, e Rodrigo Abras, como Diretor de Eventos Paulo Guedes.   O evento contou com a palestra Paulo Guedes, chairman e estrategista da Bozano Investimentos, que proferiu palestra sobre o tema "A crise contemporânea e o pensamento Liberal". Paulo deu aula magna sobre como o livre mercado está salvando bilhões de Euro-asianos da miséria provocada pelas experiências comunistas-socialistas.    

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave