Alckmin nega interferência do PSDB e diz que protestos são espontâneos

O tucano também afirmou que a segurança dos protestos será garantida pela Polícia Militar para evitar a "infiltração de vândalos"

iG Minas Gerais | Folhapress |

Alckmin diz que não irá se intimidar por ameaça de grupo criminoso
Arquivo
Alckmin diz que não irá se intimidar por ameaça de grupo criminoso

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou nesta sexta-feira (13) a relação do seu partido com os protestos marcados para acontecer neste domingo (15) e disse que as manifestações são "extremamente legítimas, espontâneas e que só fortalecem a democracia".

O tucano também afirmou que a segurança dos protestos será garantida pela Polícia Militar para evitar a "infiltração de vândalos". Uma reunião marcada para esta sexta (13) com a Secretaria de Estado da Segurança Pública vai discutir o assunto, de acordo com Alckmin.

"As manifestações são extremamente legítimas, espontâneas, impressionante isso, absolutamente franco das ruas, da vontade das pessoas, e só fortalece a democracia. O que nós temos que fazer é garantir a segurança de todos e evitar a infiltração de vândalos", disse.

O governador esteve em Campinas (a 93 km de São Paulo) na manhã desta sexta (13) para anunciar obras de remodelação de um trevo na rodovia Dom Pedro 1. Durante a cerimônia, às margens da pista, quatro veículos se envolveram em um acidente. Um dos veículos é da comitiva de Alckmin.

Ao negar a relação do PSDB com os protestos, o governador afirmou que o movimento é livre. "Vai quem quiser. É da sociedade civil", disse. Em seguida, perguntado de participaria das manifestações, ele afirmou que não. "Mas estamos cuidando da segurança", disse.

Alckmin afirmou ainda que o governo fez a interlocução com líderes das redes sociais na tentativa de garantir a segurança e a tranquilidade das manifestações. Na capital paulista, os protestos devem se concentrar, principalmente, na região da avenida Paulista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave