Sindicato dos Petroleiros de Paulínia mobiliza categoria para ato

Coordenador da FUP José Maria Rangel defendeu a necessidade urgente de lutar pela soberania nacional e pelo emprego dos petroleiros e controle das reservas

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Os petroleiros da Refinaria de Paulínia, na região de Campinas, atrasaram a entrada nesta sexta-feira (13) em serviço por cerca de uma hora e meia, segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), para ouvir os esclarecimentos sobre a mobilização nacional em defesa da Petrobras, dos direitos da classe trabalhadora e da democracia. Este ato ocorre nesta sexta (13) em várias capitais e em São Paulo por volta das 15h, na Avenida Paulista, em frente a sede regional da Petrobrás.

A FUP informou que desde a semana passada o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro-SP) tem procurado esclarecer os motivos do ato nos variados turnos da refinaria.  De acordo com a entidade, um ônibus com representantes da categoria vai sair às 12h30 da sede regional do sindicato, em Campinas rumo à  Avenida Paulista.

Por meio de nota, o coordenador da FUP, José Maria Rangel, defendeu a necessidade urgente de lutar pela soberania nacional e pelo emprego dos petroleiros e controle das reservas.

O ato também pretende pedir a revogação das medidas provisórias que tratam dos benefícios sociais – retiram direitos da classe trabalhadora ao alterar entre outros, os critérios em torno de pensões por morte e do acesso a benefícios previdenciários, como o seguro desemprego, o auxílio-doença e o abono salarial –. Os petroleiros argumentam que o governo deveria trocar essas medidas pela taxação de grandes fortunas. A categoria também reivindica reformas na estrutura política.

Leia tudo sobre: São Paulomanifestaçãosindicatopetroleiros