Chuvas fazem reservatórios de SP subir e Cantareira chega a 14,3%

Sabesp informou que choveu 132,2 mm no Cantareira até agora em março; média histórica para o mês é de 178 mm de chuvas nas represas que compõem o sistema

iG Minas Gerais | Folhapress |

Cantareira deixa de ser principal sistema de abastecimento de SP
ESTADÃO CONTEÚDO
Cantareira deixa de ser principal sistema de abastecimento de SP

As chuvas ajudaram novamente os reservatórios de São Paulo que registraram nova alta nesta sexta-feira (13).

De acordo com dados da Sabesp, o Cantareira opera com 14,3% de sua capacidade após subir 0,3 ponto percentual. Esse índice já inclui a segunda cota do volume morto (água do fundo do reservatório que não era contabilizada). Conforme a Folha de S.Paulo mostrou na quinta-feira (12), ao atingir 14% já é praticamente descartada a possibilidade de rodízio de água neste ano.

A Sabesp informou que choveu 132,2 mm no Cantareira até agora em março. A média histórica para o mês é de 178 mm de chuvas nas represas que compõem o sistema.

Outros reservatórios

O nível do reservatório Alto Tietê opera com 20,6% de sua capacidade. Na quinta-feira (12), o índice era de 20,4%.

O nível da represa de Guarapiranga chegou a 72,8% após subir 0,6 ponto percentual. O reservatório Rio Grande subiu de 93,3% para 95,1%. Já o reservatório Rio Claro avançou 0,1 ponto percentual. O sistema opera com 40%.

O sistema Alto Cotia também subiu passando de 53,3% para 53,6%. A medição da Sabesp é feita diariamente e compreende um período de 24 horas: das 7h às 7h.

Leia tudo sobre: cantareirareservatóriochuvasabastecimento