Indefinição se arrasta, e Sauber participa só do 2º treino livre

Apesar de Van der Garde ter ganhado o direito de pilotar nesta sexta, quem andou nos carros da Sauber foram Nasr e Ericsson

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

A polêmica judicial envolvendo a Sauber e o piloto holandês Giedo van der Garde continua sem uma resolução. Mas, depois de mais um dia de audiências na Suprema Corte em Melbourne, a expectativa é que o caso tenha uma definição neste sábado (noite de sexta no Brasil), quando será realizado o treino de classificação para o GP da Austrália, prova que abre o Mundial de F-1 de 2015.

Após ganhar na Justiça australiana o direito de pilotar um dos carros da equipe neste ano por ter um contrato vigente com o time -assim como Felipe Nasr e Marcus Ericsson, os titulares da Sauber-, Van der Garde entrou com novo pedido para assegurar que a decisão fosse cumprida, caso contrário a equipe poderia ter seus bens apreendidos na Austrália e, em um caso extremo, até um de seus responsáveis presos.

Após ouvir os envolvidos nesta sexta-feira (13), uma nova audiência ficou marcada para as 9h30 deste sábado (14), em Melbourne. E, de acordo com a juíza do caso, Justice Croft, "conversas construtivas eram esperadas para a noite desta sexta-feira". Ela também pediu que os advogados da Sauber e de Van der Garde tentassem entrar em um acordo antes da nova audiência. 

Tendo proibido seus pilotos de mais uma vez falar com a imprensa no paddock do circuito de Albert Park, a chefe da Sauber, Monisha Kaltenborn, participou da entrevista coletiva oficial da FIA, mas pouco falou sobre o caso.

"Infelizmente este é um assunto que não posso comentar. Claro que isso tem um impacto muito negativo na equipe porque a situação foi, por um tempo, obscura. Sabemos agora que algumas ações foram tomadas contra a equipe e estamos agindo de acordo. Não há muito mais que eu possa dizer", limitou-se.

Apesar de Van der Garde ter ganhado o direito de pilotar nesta sexta-feira, quem andou nos carros da Sauber foram Nasr e Ericsson. Isso porque o piloto holandês não possui a superlicença de 2015, o documento exigido pela FIA para que se dispute o Mundial de F-1.

Pela manhã, o holandês ficou mais de meia hora do lado de fora do paddock porque sua credencial não funcionava. Depois, ao lado de seu empresário, foi para o escritório da Sauber, onde pegou um macacão de Ericsson emprestado e se dirigiu para a garagem da equipe, onde encontrou apenas um mecânico, já que os demais foram tomar café no momento que ele chegou.

Apesar de uniformizados e prontos para ir à pista, porém, Nasr e Ericsson não participaram da primeira sessão de treinos livres. De tarde, no entanto, depois que as conversas entre os advogados da Sauber e de Van der Garde avançaram, eles foram liberados para treinar.

Ericsson escapou da pista em sua 14ª volta e quebrou a suspensão de seu carro -ele fechou o treino com o 15º tempo. Já Nasr teve um treino mais produtivo e completou 33 voltas. Cravou 1min30s755 e fechou o treino na 11ª colocação.

A Sauber não informou quem pilotará neste sábado.

Leia tudo sobre: IndefiniçãoarrastaSauberparticipasegundotreinolivregpaustraliaformula 1