Tiroteio mata um e fere quatro dentro de escola

Segundo a polícia, dentre as vítimas estão a vice-diretora, uma professora e um aluno; os atiradores, que estariam armados com metralhadoras, continuam foragidos

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Terror. 
No local do crime, em frente a uma das salas de aula, ficou muito sangue espalhado
Terror. No local do crime, em frente a uma das salas de aula, ficou muito sangue espalhado

 

A manhã de quinta-feira (12) foi marcada por momentos de muito terror no Teresópolis, depois que um jovem morreu e quatro pessoas foram baleadas em um tiroteio na Escola Estadual Senador Teotônio Vilela, localizada em uma das principais avenidas da região, a Belo Horizonte.   O crime ocorreu poucos minutos após a saída de professores e alunos do turno da manhã. Dentre as vítimas está a vice-diretora, uma professora e um aluno. Segundo relatos de testemunhas, os atiradores chegaram à porta da instituição em dois carros e armados com metralhadoras. Eles fugiram e agora estão sendo procurados pelas polícias Militar e Civil de Betim.    Após o crime, o entorno da escola ficou cercado por viaturas do 33º Batalhão da Polícia Militar e da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam), além de um helicóptero da corporação que dava apoio nas buscas. Vários curiosos também lotaram a porta da escola em busca de notícias. O pai de um aluno, que pediu para não ser identificado por medo de represálias, contou que a população está amedrontada. “Nós sempre temos medo. A escola não tem segurança, e os alunos ficam desprotegidos. Não sabemos se nossos filhos voltarão vivos para casa”, desabafou.      O crime De acordo com o major José Sérgio Felício, da 177ª Companhia, a vítima Bruno Alves de Souza, 20, e mais oito jovens, fugiam de atiradores de uma gangue rival no momento em que invadiram a instituição de ensino. “Eles forçaram o portão que estava sendo fechado pelo diretor da escola e entraram na tentativa de fugir. Oito conseguiram escapar, porém Souza foi atingido por vários disparos e morreu no pátio da escola”.   A vice-diretora, Alcinei Aparecida de Souza, foi baleada na canela. A professora Adenir Fernandes foi atingida no pé. Já dois menores, um aluno e um jovem que tentava vaga na instituição, foram baleados nas nádegas e no joelho, respectivamente.   Um professor, que também pediu anonimato, contou que todos viveram momentos de muito terror. “Nós ficamos desesperados e todo mundo que estava dentro da escola começou a correr”. Já uma aluna disse que os colegas da escola estão assustados. “Se aconteceu com as professoras, pode acontecer com a gente também”.   Foragidos Apesar de os suspeitos terem fugido em um Fiesta prata e um Fox preto, que foi abandonado minutos depois do crime em uma rua do Teresópolis, a PM informou que já tem as informações de quem seriam os responsáveis pelos disparos. “Estamos fazendo algumas buscas e acreditamos que, em alguns dias, tudo já estará esclarecido e os suspeitos presos”, disse o major Felício.   A Polícia Civil, responsável pela investigação do caso, deverá analisar as imagens das 30 câmeras de segurança espalhadas pela instituição de ensino. Após perícia, o corpo de Souza foi encaminhado para o IML de Betim.   Aulas suspensas até segunda (16)

Por causa do ocorrido, a Escola Estadual Senador Teotônio Vilela foi fechada e só será reaberta nesta segunda-feira (16). Segundo a Secretaria de Estado de Educação, por meio do diretor educacional da Superintendência Regional de Ensino (SRE) Metropolitana B, responsável pela coordenação das escolas de Betim, Webster de Oliveira, o objetivo é permitir que a equipe da SRE e a diretoria da unidade tenham tempo para analisar a situação e buscar encaminhamentos que possam oferecer tranquilidade aos alunos e ao corpo docente após ocorrido. 

A secretaria informou também que uma das servidoras baleadas foi encaminhada à Unidade de Atendimento Imediato (UAI) do Teresópolis e, em seguida, a um hospital particular, onde será submetida a uma cirurgia. Outra servidora com ferimentos leves também foi levada à UAI do bairro, mas foi liberada em seguida.   Por causa do ocorrido, a Polícia Militar reforçou o policiamento na região.    Já o diretor estadual do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), Luiz Fernando Souza, lamentou a violência nas escola públicas de Minas. “É preciso que o Estado e o município atuem de forma mais eficiente no combate à violência. Betim tem registrado um aumento considerável no número de crimes com adolescentes e isso reflete nas escolas, que recebem toda a população”.   A Secretaria Municipal de Segurança Pública não informou quais ações estão sendo desenvolvidas para tentar minimizar a violência no Teresópolis. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave