Grupo de apoio confirma estreia de Nasr na Austrália, diz jornal

A complexidade do contrato e patrocínio financeiro do brasileiro assegurariam a vaga de Felipe na Sauber

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Nasr acredita que está evoluindo e se adaptando ao carro da Sauber
Reprodução/ Facebook Felipe Nasr
Nasr acredita que está evoluindo e se adaptando ao carro da Sauber

Se a Sauber tiver que escolher entre romper acordo com Felipe Nasr ou o sueco Marcus Ericcson, para dar vaga ao holandês Giedo Van de Garde, o brasileiro pode ficar despreocupado, pois tem presença garantida. É o que afirma um grupo de apoio de Nasr, segundo informou o Diário Motosport. A complexidade do contrato e o valor do patrocínio financeiro de Felipe o garantiriam no time.

Segundo a Motosport, Nasr levou para a Sauber R$60 milhões, verba que em grande parte veio do Banco do Brasil, patrocinador master do piloto. Desse modo, se a Sauber correr no GP da Austrália, no próximo domingo, dia 15 de março, no circuito de Albert Park, Marcus Erriccson teria que ceder a sua vaga para Van de Garde.

Há informações de que Ericcson também levou para a equipe um patrocínio equivalente ao de Nasr, o que pode agravar ainda mais a situação do brasileiro.

Van de Garde conseguiu retomar a sua vaga na equipe após apelar para a Justiça da Austrália. O holandês- reserva da equipe em 2014- afirmou que tinha um acordo de que seria titular da Sauber em 2015 e o mesmo não foi cumprido. Durante as audiências desta semana no Tribunal da Corte do estado de Victoria, seus advogados apresentaram várias provas.

Ao perder na primeira instância, a escuderia tentou um recurso, alegando que Giedo não tem conhecimento algum sobre o novo carro, o que é grave problema de segurança, mas teve o pedido negado. 

Mesmo perdendo a causa, a Sauber pretende ignorar a decisão judicial e mandará os dois pilotos para os treinos desta sexta-feira, 22h30 desta quinta, no horário de Brasília. Desse modo, uma nova apelação de Van de Garde poderá ser julgada apenas nas próximas 24 horas e já teriam acontecido os primeiros treinos livres da dupla. 

Existe a possibilidade da equipe suíça resolver não disputar o GP da Austrália, caso não consiga resolver o imbróglio judicial.