'Não vejo alívio nos próximos meses'

Silvio Campos Neto, economista da consultoria Tendências

iG Minas Gerais |

Não há como prever o que vai acontecer com o dólar, já que a cotação reflete os fundamentos da nossa economia, além de fatores externos. O momento é de volatilidade, incertezas, o que não nos permite uma leitura clara do cenário, mas não vejo cenário de alívio nos próximos meses. Vale destacar que o dólar está se valorizando em outros países. Também contribuiu para a alta da moeda norte-americana frente ao real a melhoria dos fundamentos da economia dos Estados Unidos, enquanto aqui existe receio, em razão da perda de dinamismo e competitividade da economia brasileira, além da deterioração das contas fiscais, agora com mais o componente político turbulento, que é a Lava Jato. A recuperação do ambiente econômico não é rápida, leva tempo. Com o dólar mais alto, eletroeletrônicos e produtos derivados do trigo, já que boa parte do insumo vem de fora, vão ficar mais caros, além, é claro, dos produtos importados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave