Derrota na Justiça faz Sauber temer processos e perda de patrocínio

A equipe suíça aguarda a decisão do recurso para não ter que dispensar um dos seus pilotos, Felipe Nasr ou Marcus Ericcson

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Nasr acredita que está evoluindo e se adaptando ao carro da Sauber
Reprodução/ Facebook Felipe Nasr
Nasr acredita que está evoluindo e se adaptando ao carro da Sauber

Depois de um Mundial sofrível no ano passado, no qual não marcou nenhum ponto, a Sauber começou 2015 mais esperançosa após uma boa pré-temporada na Espanha.

O que o time suíço não imaginava, no entanto, era que iria ver sua temporada ter início nos tribunais de Melbourne e sem saber quais pilotos estariam no cockpit de seu carro às vésperas do GP da Austrália, prova de abertura do Mundial, que será disputada na madrugada deste domingo, às 2h (de Brasília).

O motivo do imbróglio foi uma ação movida pelo holandês Giedo van der Garde, terceiro piloto da equipe no ano passado e que tinha contrato para ser titular em 2015, mas que foi dispensado com a chegada de Markus Ericsson e Felipe Nasr, ambos bancados por fortes patrocinadores de seus países –o Banco do Brasil no caso do brasileiro.

Insatisfeito por ter perdido a vaga, Van der Garde entrou com uma ação na Justiça australiana e venceu o processo que lhe assegura um lugar no time por toda a temporada de 2015.

A Sauber recorreu da decisão e a Suprema Corte determinou que o caso será ouvido novamente nesta quinta-feira (12), a partir das 9h30 (19h30 de Brasília).

A equipe alega que Van der Garde não está preparado para pilotar o carro neste final de semana, já que não participou da pré-temporada.

O piloto, obviamente, diz estar pronto para guiar já nos primeiros treinos livres em Melbourne, que serão realizados nesta quinta, a partir das 22h30 (de Brasília).

"Estou em forma e pronto para correr. Estou ansioso por voltar à equipe e vou trabalhar duro para dar o melhor neste final de semana. Treinei forte nos últimos três meses e não vejo a hora de voltar", afirmou Van der Garde.

"Sempre tive e continuo tendo uma boa relação com a equipe. Não sei o que eles vão fazer em relação aos outros pilotos, mas isso não é problema meu. Estou feliz de ter vencido o caso e só quero voltar a correr", completou.

Nasr e Ericsson não estiveram no circuito nesta quarta-feira (11) para comentar o caso. Na garagem do time, mecânicos trabalhavam normalmente no carro dos dois pilotos.

Pelo regulamento, a Sauber tem até às 16h desta quinta-feira (2h, de Brasília), para inscrever os pilotos que disputarão o GP da Austrália.

Mas este não é o pior problema para o time suíço. Em graves dificuldades financeiras, o caso deve agravar ainda mais a situação da Sauber.

Caso a Justiça australiana mantenha a decisão e dê a Van der Garde a vaga de titular, a equipe terá de dispensar Nasr ou Ericsson e, consequentemente perderá o dinheiro que ambos trazem. Mais que isso, a chance de ser processada pelo que for preterido também é enorme.