MPF recupera cerca de R$182 milhões de Pedro Barusco

O dinheiro estava depositado em contas na Suíça e foram transferidos para uma conta-corrente da Justiça Federal em Curitiba, responsável pelas investigações

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Engenheiro Pedro Barusco (à direita), ex-gerente da Petrobras e delator da operação Lava Jato, depõe na CPI
Antonio Cruz/Agência Brasil
Engenheiro Pedro Barusco (à direita), ex-gerente da Petrobras e delator da operação Lava Jato, depõe na CPI

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou nesta quarta-feira (11) a repatriação de R$ 139 milhões pertencentes ao ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco. Mais tarde, a PGR informou que também houve a recuperação de outros R$ 43 milhões, que estavam em várias moedas, ainda não convertidos para o real. Após a conversão, também será depositado na conta da Justiça, totalizando R$ 182 milhões.

O dinheiro estava depositado em contas na Suíça e foram transferidos para uma conta-corrente da Justiça Federal em Curitiba, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato.

De acordo com os investigadores, o valor é oriundo de propina paga ao ex-gerente em contratos da Petrobras. A quantia se refere apenas a uma parte dos valores a serem repatriados. Após a conclusão do processo, o dinheiro será devolvido para a Petrobras.

Em depoimento prestado ontem (10) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, Barusco disse que está colaborando com o processo de repatriação do dinheiro. O ex-gerente firmou um acordo de delação premiada como o Ministério Público Federal (MPF) em troca de redução de pena.

Segundo a investigação, a propina foi recebida no exterior, em contas nos bancos HS Republic, HSBC, Safra, Cramer, Royal Bank of Canada e Delta.

Atualizada às 16h31

Leia tudo sobre: lava jatolavajato