Levir tem desafio para achar regente atleticano neste ano

Treinador ainda não tem o atleta que chama a responsabilidade e preocupa o adversário nesta temporada

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

Dor de cabeça. 
Com a saída de jogadores importantes, Levir Culpi ainda procura o maestro do time alvinegro para esta temporada
JOAO GODINHO/ O TEMPO
Dor de cabeça. Com a saída de jogadores importantes, Levir Culpi ainda procura o maestro do time alvinegro para esta temporada

Uma equipe campeã é moldada a partir de um grande jogador, um atleta capaz de deixar os adversários preocupados desde o minuto inicial de uma partida, alguém que tenha aquele necessário lapso de genialidade e, como consequência, obtendo o triunfo. O Atlético teve nos últimos anos atletas que preenchiam essa lacuna, como Ronaldinho Gaúcho e Diego Tardelli. Jogadores que puxavam uma reforçada marcação e, ao mesmo tempo, conseguiam desequilibrar.

Em 2015, o cenário atleticano mudou com a saída de DT9 na última janela de transferências, e o técnico Levir Culpi tenta encontrar no atual elenco o atleta capaz de chamar a responsabilidade de incendiar a equipe e, principalmente, deixar o treinador adversário com uma prévia tensão por enfrentá-lo.

Na lista alvinegra bons nomes não faltam para a vaga de “playmaker”, aquele atleta que organiza o time ao seu redor e tem a capacidade de armar jogadas imprescindíveis para sacramentar uma vitória.

Atual camisa 10 do Atlético, Dátolo ainda convive com um futebol inconstante, que depende da boa fase do restante da equipe. Além disso, o meia argentino busca se ver livre das lesões que já o afastaram das duas últimas partidas.

Outro que também foi importante na conquista da Copa do Brasil e busca destacar-se ainda mais é o atacante Luan, que tem como fator positivo e, ao mesmo tempo, negativo, a sua intensidade às vezes incontrolável dentro de campo. Carlos e Dodô ainda completam esse grupo de 2014, com o segundo tendo características mais marcantes de um articulador de jogadas para gol.

Entre as contratações para 2015, os dois gringos chamam mais atenção pelo status com que chegaram. Lucas Pratto foi eleito o melhor jogador que atuou na Argentina na última temporada e iniciou o ano bem, mas lesionando-se em seguida. Já Sherman Cárdenas luta para adaptar-se ao estilo brasileiro e convencer o técnico Levir Culpi de que tem condições de ser esse atleta moldado para desequilibrar.

“Acho que ele (Cárdenas) já está adaptado. Sei que entrou bem no jogo da Libertadores (contra o Atlas-MEX, no Independência). Vai aos poucos melhorando”, disse o colega Pratto.

Mercado

Corinthians. Sonho de contratação da diretoria do Atlético, o meia-atacante Bernard entrou na mira do Corinthians. A boa relação de Andrés Sanchez, atual superintendente de futebol do clube paulista, com o agente Giuliano Bertolucci, parceiro do empresário de Bernard, Adriano Spadoto, é trunfo do Timão para superar as dificuldades das tratativas pelo ex-atleticano. Bertolucci e Spadoto já teriam, inclusive, ido à Ucrânia tentar convencer o Shakhtar Donetsk-UCR a liberar o meia por um preço acessível aos padrões brasileiros.

Quer ficar

Futuro. Em entrevista na Cidade do Galo, o avante Cesinha deixou claro que trabalha para ficar no Atlético. “Só penso em permanecer”, disse o atleta. O contrato do jogador com o Galo vai até maio deste ano.

Rocha treina e planeja retorno para quarta A presença do lateral Marcos Rocha e do volante Leandro Donizete foram as novidade do treino do Atlético nesta terça. O lateral tinha sofrido um estiramento muscular na coxa esquerda no jogo contra o Democrata, no dia 14 de fevereiro. Ele, no entanto, não deve enfrentar a Caldense, quinta-feira, às 19h30, em Poços de Caldas. O caso de Leandro Donizete foi mais simples. O volante sofreu uma pancada no pé direito durante o clássico, e o local ficou inchado. Marcos Rocha está confiante no retorno à equipe contra o Santa Fe, da Colômbia, dia 18, em Bogotá, pela Libertadores. “Nesses dois jogos do Mineiro vou estar vetado. O Levir quer que eu passe por uma programação maior. Mas estou à disposição. De quinta já não dá, mas se quiser que eu jogue um tempo no domingo, estou à disposição. Quero jogar na quarta-feira (contra o Santa Fe)”, afirmou. A atividade desta terça serviu para o técnico Levir Culpi fazer o primeiro coletivo da semana. O treinador usou o mesmo time que enfrentou o Cruzeiro no domingo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave