Rede Epa Supermercados vai abrir 15 lojas ainda neste ano

Rede nascida em Belo Horizonte é uma das 15 maiores do país, de acordo com ranking Abras

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Sintonia. De pé, Roberto Gosende, há 25 anos na empresa, e o diretor administrativo do Epa Supermercados, Nilton Alves Fernandes
JOAO GODINHO/ O TEMPO
Sintonia. De pé, Roberto Gosende, há 25 anos na empresa, e o diretor administrativo do Epa Supermercados, Nilton Alves Fernandes

Antes de começar a falar sobre o mercado e o negócio supermercadista, que vai muito bem, o diretor de marketing do Epa Supermercados, Roberto Gosende, há 25 anos na casa, dava instruções a um dos funcionários mais antigos da rede, um motorista de 75 anos. “Ele almoça com a diretoria. É uma figuraça que faz parte da história da empresa”, conta Gosende. E é assim, valorizando a prata da casa, que o Epa foi crescendo, depois de ter nascido, há 65 anos, como uma mercearia na região Oeste. Agora, a rede de 77 lojas em Minas Gerais e outras 19 no Espírito Santo vai crescer ainda mais com a abertura de 15 unidades neste ano. Dez delas serão em Belo Horizonte e outras cinco no interior de Minas Gerais. “Não existe um limite (para abertura de novas lojas). A empresa quer crescer sempre e está se modernizando”, comemora.

Mas o processo de expansão e aumento de capilaridade da rede não acontece somente neste ano. “O mercado está bem, inauguramos cerca de 12 lojas em 2014”, informa. Somente dos últimos meses do ano passado até janeiro deste ano foram oito unidades abertas. “Abrir loja é o nosso negócio. É uma paixão”, resume o executivo. Para colocar em funcionamento um novo ponto de venda, o investimento necessário é da ordem de R$ 2 milhões.

A rede Epa Supermercados, que faz parte do Grupo DMA Distribuidora S/A, também apresenta números pujantes no faturamento. Em 2014, o resultado foi de R$ 2,3 bilhões, e, em 2015, a previsão é faturar R$ 2,8 bilhões, o que mantém a companhia mineira entre as 15 maiores do país, de acordo com ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). “Esse crescimento se deve não somente à abertura de mais lojas, mas à economia do país também”, explica.

Com 11 mil funcionários, a estratégia do Epa é continuar crescendo e “abrindo loja para todo lado”, como Gosende gosta de falar. Mas, como em todo o setor, o Epa também enfrenta um problema de mão de obra. “Tenho um turnover (rotatividade de pessoal) de 50%. Todo ano, 6.000 pessoas entram e saem desta empresa, ou seja, a gente treina e depois ela vai embora. Num supermercado, a maioria, 60% dos funcionários, é formada pelo primeiro emprego”, calcula.

Frota. O investimento da rede Epa Supermercados passa pela renovação de sua frota de 150 caminhões. No fim do ano passado, a empresa comprou 17 caminhões da marca Iveco. “Depois de um levantamento que a gente fez no mercado e em empresas do setor supermercadista que utilizam o caminhão Iveco, nós observamos um índice de satisfação muito grande, não só da qualidade do produto dos caminhões Iveco, mas pela assistência e suporte dado no pós-venda”, explica.

Trajetória

Começo: Foi em 1950 com uma mercearia na região Oeste da capital mineira. Nove anos depois já tinha uma rede de dez mercearias e 30 funcionários.

Estreia: Primeiro supermercado surgiu em 1972, em BH. O empreendimento, então, passa a ser uma sociedade por ações e se transforma em Epa Supermercados S/A.

Mudança. Em 2000, um novo grupo de acionistas se forma, e a empresa passa a ser uma sociedade anônima.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave