Vetado na Austrália, Alonso diz que tentará correr na Malásia

Piloto da McLaren já voltou a treinar e afirmou estar "decepcionado" por perder GP em Melbourne

iG Minas Gerais | Folhapress |

A equipe também garante que o piloto poderá retornar às pistas no GP da Malásia, no dia 29 de março
Reprodução/ Facebook McLaren
A equipe também garante que o piloto poderá retornar às pistas no GP da Malásia, no dia 29 de março

Vetado pelos médicos de disputar o GP da Austrália, etapa de abertura do Mundial de F-1, após o acidente sofrido no último dia 22, o espanhol Fernando Alonso, da McLaren, afirmou que fará o possível para disputar o GP da Malásia, programado para o próximo dia 29.

"Estou muito decepcionado por não estar junto a Jenson [Button] na garagem da McLaren em Melbourne, mas entendo as recomendações dos médicos. Já voltei a treinar e estou me preparando para a minha primeira corrida com o MP4-30", disse o piloto, que será substituído pelo dinamarquês Kevin Magnussen.

"Agradeço a todos por seus amáveis votos e seu apoio. Farei tudo o possível para retornar na Malásia. Desejo o melhor a Kevin [Magnussen] para esse fim de semana na Austrália. Sei que o carro está em boas mãos", acrescentou.

Alonso se acidentou após perder o controle do carro na Curva 3 do circuito de Montmeló e o impacto se deu com a parte direita do carro no muro.

Depois de ficar desacordado por alguns segundos, foi levado ao centro médico do circuito e, mais tarde, de helicóptero ao Hospital Geral da Catalunha, onde ficou internado por três dias. Logo após receber alta, o espanhol foi para a casa de sua família, na Espanha, para continuar a se recuperar da concussão.

Como não há imagens do acidente, muitas especulações sobre a batida surgiram no paddock. De acordo com a versão da McLaren, a causa da batida foi o forte vento que soprava no local no momento.

No último dia 27, Alonso postou um vídeo e disse que estava bem. Neste período, o acidente de Alonso teve várias versões contraditórias.

Leia tudo sobre: alonsomclarenaustráliagp melbourneacidentecorridafórmula 1f-1