Atentados contra o Exército deixam dois mortos e 33 feridos no Egito

Ataques são reivindicados por grupos jihadistas que afirmam atuar em represália à repressão posterior ao golpe militar de julho de 2013

iG Minas Gerais | Folhapress |

Pelo menos duas pessoas morreram e 33 ficaram feridas nesta terça-feira (10) em dois ataques terroristas contra o Exército do Egito na cidade de Al Arish, no norte da península do Sinai, na mais recente onda de ataques na região conflituosa.

Na primeira ação, um homem-bomba detonou seus explosivos enquanto tentava invadir com um caminhão-pipa uma base militar da cidade. A explosão matou um civil e deixou 30 policiais feridos. Em um segundo ataque, uma bomba acionada por controle remoto explodiu ao lado de um posto de controle de uma estrada ao sul da cidade, provocando a morte de um policial e deixando outros três feridos.

O Sinai é cenário de atentados quase diários contra as forças de segurança. Na segunda (9), outra explosão com uma bomba acionada à distância deixou três soldados egípcios mortos no Sinai.

Os ataques são reivindicados por grupos jihadistas que afirmam atuar em represália à repressão posterior ao golpe militar de julho de 2013, que derrubou o presidente islamita Mohammed Mursi.

Os novos atentados ocorrem um dia antes de uma reunião convocada pelo governo egípcio para tentar atrair investimentos ao país, afetado por uma grave crise econômica decorrente da falta de estabilidade política.

Leia tudo sobre: egitoatentadojihadistas