Pontaria não é mais a mesma

Conclusões certas a gol da equipe caíram em comparação ao time campeão da Copa do Brasil

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira / Fernando Almeida |

Posicionamento. Pratto garante que pode jogar como centroavante fixo ou aberto pelos lados
FOTOS JOÃO GODINHO
Posicionamento. Pratto garante que pode jogar como centroavante fixo ou aberto pelos lados

Não faz nem quatro meses que o Atlético conquistou a Copa do Brasil, e, por isso, aquele time ainda é a referência mais recente do bom futebol alvinegro. Mas, mesmo com poucas mudanças no elenco de uma temporada para a outra, os problemas médicos criaram desarranjos no setor ofensivo e fizeram a pontaria do Galo desandar nos primeiros jogos do ano. Se na Copa do Brasil o Atlético finalizava, em média, 6,3 bolas certas a gol, em 2015, esse índice caiu para 3 na Copa Libertadores e para 4,2 no Campeonato Mineiro, segundo levantamento do Footstats . No clássico do último domingo, o time, mesmo com desfalques, voltou a mostrar garra, mas faltou qualidade na criação de jogadas e nas conclusões. Das dez finalizações contra o gol de Fábio, apenas três foram em direção ao alvo corretamente. Em uma delas, o volante Rafael Carioca contou com a falha do camisa 1 do Cruzeiro e fez o gol da equipe no empate em 1 a 1. Alternâncias. Na reta final do ano passado, o técnico Levir Culpi decidiu abolir a estratégia de atuar com um centroavante fixo, o que foi repensado em 2015 com a chegada do atacante argentino Lucas Pratto. O jogador, que tinha feito dois gols em três partidas com a camisa do Galo, no entanto, se machucou. O treinador tentou manter o sistema com Jô e André, que não agradaram. Levir, então, voltou a utilizar atletas com perfil mais velocista e de armação, se revezando entre Carlos, Dátolo, Luan, Dodô, Maicosuel, Cárdenas e Cesinha, dependendo da situação física e técnica de cada um. Nesta segunda, porém, Lucas Pratto voltou a participar normalmente da atividade coletiva e, se Levir Culpi quiser, o argentino já pode retornar ao time na partida contra a Caldense, na próxima quarta-feira. O atacante não atua desde o dia 15 de fevereiro, quando sofreu um estiramento muscular na coxa esquerda. Versátil.  E se é para ajudar a equipe, Pratto deixou claro que pode atuar tanto como centroavante como pelo lado, com mais movimentação. “Jogo tranquilamente onde o treinador me colocar. Se quiser que eu me mova, posso fazer. Fiz isso por dois anos no Vélez Sarsfield”, ressaltou o jogador. O argentino, porém, pregou cautela no retorno, lembrando que o duelo mais importante da equipe nos próximos dias será no dia 18 de março, contra o Santa Fe, em Bogotá, na Colômbia, pela Libertadores – antes disso tem os duelos pelo Mineiro contra Caldense e URT.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave