Sauber alega 'risco de morte' para barrar rival de Nasr de competir

O piloto Giedo van der Garde entrou com um pedido na Suprema Corte de Victoria, na Austrália, para reaver sua vaga no primeiro GP de 2015

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Van de Garde chegou a afirmar que a Sauber não cumpriu com o acordo, já que a equipe teria garantido a titularidade em 2015
Reprodução/ Twitter
Van de Garde chegou a afirmar que a Sauber não cumpriu com o acordo, já que a equipe teria garantido a titularidade em 2015

Em julgamento na Austrália, a Sauber alegou que Giedo van der Garde não tem experiência suficiente para disputar o GP da Austrália e que correria risco "inaceitável" de morte.

O piloto holandês entrou com um pedido na Suprema Corte de Victoria , na Austrália, para reaver sua vaga no GP daquele país, prova que abre a temporada da F-1 no próximo dia 15.

Van der Garde era terceiro piloto da equipe no ano passado e, segundo documentos apresentados por ele, tinha contrato com a Sauber para ser titular na temporada deste ano.

Em dificuldades financeiras, porém, a equipe o dispensou depois de acertar com o brasileiro Felipe Nasr e Marcus Ericsson, que chegaram ao time apoiados por fortes patrocinadores -um consórcio de empresas suecas no caso do primeiro e o Banco do Brasil no caso de Nasr.

O advogado Sauber, Rodney Garratt, disse que Van der Garde, 29 anos, não treinou no carro da equipe o suficiente para disputar o GP da Austrália.

"O Sr. van der Garde não tem experiência de condução da Ferrari c34 e não teria tempo suficiente para aprender", Garratt disse no Tribunal.

O brasileiro Felipe Nasr esteve no Supremo Tribunal de Victoria. A decisão sobre o caso será tomada até quarta-feira (11). Os treinos para o GP da Austrália iniciam na sexta (13).

Leia tudo sobre: formula 1gp da australiajustiçavan de gardeholandasauber