Secretário de saúde confirma falta de leitos em Minas

Ele também disse que faltam profissionais especializados em pediatria; prefeito Marcio Lacerda também confirmou que hospital do Barreiro não ficará pronto dentro do prazo e que irá "conduzir com paciência"

iG Minas Gerais | LUCIENE CÂMARA |

Durante o lançamento da campanha de vacinação contra o HPV, o ministro da Saúde Arthur Chioro, que esteve junto ao secretário municipal de Saúde Fabiano Pimenta na escola Municipal Marconi, no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (9), falou sobre a crise oncológica pediátrica noticiada por O TEMPO no último sábado (7).

Pimenta confirmou que há um déficit de 200 leitos na pediatria em Minas e que falta profissionais especializados em pediatria. Segundo ele, há um esforço com o Ministério da Saúde para ampliar residências em pediatria e otimizar leitos em hospitais já existentes da capital como a maternidade Odete Valadares e o hospital infantil João Paulo II.

O prefeito da capital Marcio Lacerda que também participou do encontro, disse que está negociando com o governo federal repasse para o hospital Odilon Behrens, onde 50% dos pacientes vem do interior e por isso também precisam de repasse federal. Ainda segundo ele, o governo federal ainda não repassou R$ 1,5 milhão por mês que precisaria ser destinado aos agentes de endemias. 

Hospital do Barreiro

O secretário também disse que há pendências de orçamentos do Estado e da União que ainda não foram aprovados, o que limita ações para ativação do hospital do Barreiro, que está em obras. Ainda conforme Pimenta, há discussões com o Ministério da Saúde para fechar a proposta de ativação do hospital, mas isso dependeria do orçamento. “Se dependesse só das obras, até o final de março já teríamos condições de ativar a primeira fase, mas nos próximos dias, a partir da votação do orçamento, teremos condições de fechar o financiamento”, disse.

A primeira fase de abertura do hospital prevê 80 leitos de urgência e emergência. Até o fim do ano são previstos 429 leitos. As obras da primeira fase ainda estão em acabamento, conforme Pimenta.

O prefeito Marcio Lacerda confirmou que a ativação do hospital do Barreiro não acontecerá em abril, como estava previsto. Segundo ele, a ativação depende de negociação com o governo federal. "Vamos conduzir com paciência. O município não dá conta sozinho do hospital", disse. 

Campanha contra HPV

O desafio da terceira fase de vacinação é atingir as meninas que não cumpriram o cronograma e deixaram de tomar a segunda dose da vacina. A campanha começou em março do ano passado, quando 82% das meninas de 11 a 13 anos tomaram a vacina em BH, um total de 40.318. A segunda dose deveria ser tomada de 1° de setembro a 19 de dezembro do ano passado, mas só 63% das meninas tomaram, o que dá um total de 31.327. Sem a segunda dose, a vacina perde a efetividade.

Há ainda uma terceira dose que deve ser tomada cinco anos após a primeira dose. O secretário municipal de Saúde Fabiano Pimenta disse que fez parceria com escolas para que vacinas sejam dadas nas instituições.