Marcelo Oliveira reconhece baixo nível técnico e elogia reação azul

Treinador ponderou que o Cruzeiro perdeu a chance de ter uma boa vitória no clássico, já que jogou com time completo contra um Galo desfalcado

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

técnico leva o Cruzeiro às quartas de final da Copa do Brasil, depois de clube ficar oito anos sem alcançar essa fase da competição
Washington Alves/Light Press
técnico leva o Cruzeiro às quartas de final da Copa do Brasil, depois de clube ficar oito anos sem alcançar essa fase da competição

Um jogo com duas equipes cheias de raça, mas sem tanta eficiência na pontaria. Foi assim que o técnico do Cruzeiro, Marcelo Oliveira, rotulou o clássico deste domingo contra o Atlético, que terminou no empate em 1 a 1, no Mineirão. “Em relação ao clássico, não foi um jogo brilhante tecnicamente, mas foi disputado, com muito espirito de luta e muita competição. Dois times com propostas um pouco diferentes. Até imaginávamos mesmo que o Atlético, por causa de lesões, apostaria em bons contra-ataques. Conseguimos segurar bem, tivemos volume bom pelos dois lados, principalmente pelo lado do Mayke. Depois, o Atlético cresceu e criou mais dificuldades”, comentou o treinador. Apesar das adversidades que surgiram, o comandante da Raposa destacou a reação de sua equipe. Após sair atrás do placar, o Cruzeiro foi para cima e chegou ao empate com Leandro Damião. “Gostei da nossa reação, o time não se desesperou. Há uma ansiedade ainda, pelo fato de os jogadores se conhecerem. Ficou de bom tamanho o empate. Mas era uma grande oportunidade para o Cruzeiro, por jogar mais completo, ter uma vitória hoje (domingo)”, afirmou. Marcelo Oliveira fez questão de elogiar ainda o espírito e a vontade dos atletas que entraram durante a partida, dispostos a mudar a história do jogo. “Temos jovens que podem modificar situações, como o Judivan e o Alisson. O Judivan ainda está evoluindo e o Alisson vem de paralisação de quatro meses”, disse Marcelo, que confessa que pode fazer modificações na equipe titular num futuro breve, incluindo novas chances a estes dois jovens. “Vamos analisar bem, pois temos de montar um time forte para a Libertadores”, completou.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposaclassicomarcelo oliveiratecnico