Em mais de seis horas, Feijão perde e Argentina empata o confronto

Partida foi a mais longa da história da Copa Davis, desde que foi instituído o tie-break, em 1989, e o segundo embate mais longo da história do tênis

iG Minas Gerais | Folhapress |

Com muito sofrimento, a Argentina empatou o confronto com o Brasil válido pela primeira rodada do Grupo Mundial da Copa Davis em 2 a 2. Em duelo épico neste domingo (8), Leonardo Mayer venceu João Souza, o Feijão, por 3 sets a 2 (7/6, 7/6, 5/7, 5/7 e 15/13), em seis horas e 42 minutos, no complexo multiúso Tecnópolis, em Buenos Aires.

Foi, simplesmente, a partida de simples mais longa da história da Davis desde que foi instituído o tie-break, em 1989. Também foi o segundo embate mais longo de simples da história do tênis (o maior ocorreu em Wimbledon-2010, entre John Isner e Nicolas Mahut).

O Brasil começou o dia em vantagem de 2 a 1. Obteve triunfo na sexta, quando Feijão derrotou Carlos Berlocq por 3 a 2, e no sábado, com vitória dos duplistas Marcelo Melo e Bruno Soares sobre Berlocq e Diego Schwartzman. Mayer descontara ao bater Thomaz Bellucci na sexta.

A definição do duelo deve ocorrer ainda neste domingo, e a sorte brasileira está com Bellucci. Ele enfrentará Federico Delbonis (83º do mundo), contra quem disputou cinco partidas até hoje (perdeu três vezes). Como o Tecnópolis não tem iluminação artificial, a partida pode ser terminada nesta segunda-feira. O classificado do confronto entre Brasil e Argentina enfrentará a Sérvia nas quartas de final da Copa Davis, entre 17 e 19 de julho.

A exemplo de sexta-feira, quando venceu Bellucci por 3 sets a 1, Mayer fez boa apresentação. Atual número 29 do mundo, contou com um saque sólido (16 aces) e desferiu 89 jogadas vencedoras. É bem verdade que também abusou dos erros não forçados: teve 134 durante o duelo.

A vitória deste domingo teve dramaticidade e requintes de crueldade. E rivalidade. Astro argentino, afastado do confronto por contusão, Juan Martín del Potro chegou a ser retirado do banco argentino pelo árbitro geral depois de se envolver em pesada discussão com torcedores brasileiros. Nas arquibancadas, os fãs argentinos provocaram jogando água nos brasileiros, que responderam com xingamentos.

Depois de o argentino abrir 2 sets a 0 em tie-breaks muito equilibrados, ambos começaram o terceiro set avariados. Feijão pediu atendimento médico primeiro. O argentino, que chegou a ter uma quebra de saque de vantagem, usou do mesmo expediente, duas vezes, e pareceu mais afetado com a lesão na perna e no pé esquerdos.

O brasileiro empatou, virou, embalou e fechou a terceira parcial. Depois, a quarta. Apesar da queda de rendimento do argentino e do cansaço dos dois. No quinto set, Feijão salvou três match points no décimo game. No seguinte, sempre com muita dificuldade, quebrou o saque do rival e serviu para fechar o jogo quando tinha vantagem de 6 a 5.

Mayer, porém, devolveu a quebra e passou à frente (7 a 6). Ambos, extenuados, foram confirmando seus serviços até o argentino quebrar e fechar em 15 a 13. Ao todo, Feijão salvou dez match points do oponente antes de sucumbir.

Leia tudo sobre: joão souzafeijãocopa davis