Ministério das Cidades avalia abrir sindicância

Assessoria informou que a pasta "vai contribuir com todas as investigações, da forma como for necessário" e ressaltou que avalia a abertura de uma sindicância para apurar os fatos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

A assessoria do Ministério das Cidades, órgão a qual o Denatran - Departamento Nacional de Trânsito - e a CBTU - estatal federal de trens urbanos - são ligados, disse que a pasta "vai contribuir com todas as investigações, da forma como for necessário" e ressaltou que avalia a abertura de uma sindicância para apurar os fatos.

O dono do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, citado como intermediário de pagamento a políticos do PP por meio de um contrato firmado pela Federação Nacional da Empresas de Seguros Privados e de Capitalização (Fenaseg), disse que nunca conheceu Alberto Yousseff.

"Eu tinha 25% de uma empresa que foi contratada pela Fenaseg, mas o nome dela não era GRF, como consta na declaração", iniciou.

Montenegro diz que sua empresa, a Gravanis, foi escolhida para montar uma base de dados para a Fenaseg após comparação com duas concorrentes. "Foi um negócio com empresas privadas, nada a ver com política".

Ele disse ainda que a atuação do Ibope "sempre desagrada a algum político, tanto que um deputado do PP pediu uma CPI". "Essa história não tem nexo. É retaliação braba mesmo." A Folha não localizou os demais citados.

Leia tudo sobre: Ministério das CidadesLava jatoLava-Jato