Defeitos em portas devem ser corrigidos com novas tecnologias

Conforme o Setra-BH, responsável pelo reparo das portas, todas estarão com o funcionamento regularizado até junho

iG Minas Gerais |

A alta incidência de defeitos nas portas automáticas das estações de transferência do Move é um gargalo do sistema. Levantamento do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da capital (Setra-BH) apontou, em janeiro deste ano, problemas em 200 das 480 peças.  

As portas só deveriam abrir quando os ônibus chegam à estação, mas muitas ficam escancaradas, possibilitando a entrada de passageiros sem pagamento e criando riscos – em dezembro, um homem morreu após colocar a cabeça para fora da estação São Francisco e ser atingido por um coletivo, na Antônio Carlos. Conforme o Setra-BH, responsável pelo reparo das portas, todas estarão com o funcionamento regularizado até junho. E novos recursos tecnológicos serão agregados, segundo Daniel Marx, diretor de Transporte Público da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans). Elas não se abrirão mais só com a aproximação dos coletivos, como é atualmente. Um novo sistema em instalação nos ônibus faz com que o próprio motorista comande a abertura e também o fechamento das estruturas. O dispositivo está há cerca de 15 dias em quatro estações do centro e em outras quatro da Antônio Carlos, e a previsão é que esteja em todo o sistema em até 60 dias. Outra mudança envolve o botão de emergência localizado na estação, que, muitas vezes, é acionado indevidamente pelo passageiro para abrir a porta, mas não provoca o fechamento automático. Isso mudará com a criação de um tempo máximo de abertura.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave