Água e luz vão pesar nos reajustes

Para ele, uma das soluções para a redução dos gastos com água nos condomínios está na instalação da medição individualizada

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

A média de reajustes das taxas de condomínio em 2014 ficou em 9%, segundo pesquisa feita pela Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG). Há casos, segundo o levantamento, de reajustes que chegaram a 20%.  

Para o diretor comercial da administradora de condomínios Opala, Marcos Nery, a perspectiva é de alta expressiva neste ano. “Não acredito que vá ser menor que 15%. Afinal, há pressão de água e energia. Mão de obra e água representam em torno de 70% das despesas dos condomínios”, diz.

Para ele, uma das soluções para a redução dos gastos com água nos condomínios está na instalação da medição individualizada. “Assim, o consumo cairia em 30% e cada morador iria pagar o que realmente consumir. A maioria dos condomínios não possui esse recurso, o que inviabiliza o consumo consciente, uma vez que todos os condôminos pagam o mesmo valor independente se consomem mais ou menos que seus vizinhos”, observa. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave