Cidadela dourada

Centro do poder desde os czares reúne belos atrativos, a maioria próximo ao muro

iG Minas Gerais | Paulo Campos |

Vista das muralhas de 2.235 km do Kremlin
Paulo Campos
Vista das muralhas de 2.235 km do Kremlin

Ao contrário do que se possa pensar, o comunismo em nada influenciou a denominação da praça mais famosa de Moscou. Vermelho em russo significa “bonito”, segundo a guia Yulia Fillipova. A praça Vermelha, parada obrigatória de qualquer turista, faz, então, jus ao nome.

Prédios de arquitetura pesada, porém suntuosos, circundam um espaço grandioso, protegidos pela fortaleza do Kremlin. No entorno, a pequena capela de Cristo Salvador e o portal vermelho do museu histórico, destruídos pelos comunistas e não tão antigos.

Na outra ponta, a coloridíssima catedral de São Basílio, de nove torres, foi construída pelo czar Ivan, o Terrível, para comemorar sua vitória sobre os tártaros. Reza a lenda que, ao término da obra, o czar teria mandado cegar o arquiteto que a desenhou, para que ele não pudesse projetar outra de igual beleza.

O shopping center GUM (Glavnyi Universalnyi Magazin), de frente para o túmulo onde se vê Lênin embalsamado, ostenta lojas de luxo, grandes marcas e cafés elegantes.

Fortaleza

Kremlin significa “fortaleza” ou “cidade das crianças” e se refere a qualquer fortificação presente em várias cidades russas. Centro do poder político e espiritual russo até hoje, a cidadela com mais de 2 km de extensão começou a ser erguida no século XII. Foi residência dos czares e cenário da coroação de todos eles a partir de Ivan, o Terrível.

O mais impactante no Kremlin são as cinco igrejas de cúpulas douradas da praça das Catedrais. Se tiver sorte, o visitante também pode assistir a um dos belos coros de música ortodoxa que, vez ou outra, cantam ali. Mas vale, ainda, uma visita ao palácio das Armas para entender um pouco da história do país.

Atrativos

KGB: Prédio do temível serviço de segurança soviético; hoje abriga seu substituto, a FSB

Ortodoxa: A catedral de Cristo Salvador foi construída em 1860 por Alexandre I

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave