Show de gelo

Aysén, na Patagônia chilena, integra geleiras, grutas, lagos e bosques

iG Minas Gerais | Paulo Moreira |

Na incrível caverna conhecida como Catedral de Mármore
Paulo Moreira/Agência O Globo
Na incrível caverna conhecida como Catedral de Mármore

Só mesmo viajando com uma artilharia pesada de cartões de memória e baterias para não perder nenhuma das imagens que você vai querer fotografar na região de Aysén, na Patagônia chilena. Vales, montanhas, geleiras, lagos, rios e cachoeiras transformam o local em um cenário único de contrastes de relevos e cores. Um elogio à contemplação de paisagens das mais intactas do planeta.

Vindo de Santiago, o roteiro começa no desembarque no pequeno aeroporto de Balmaceda, localizado a duas horas e meia de carro de Puerto Aysén, que nasceu para estabelecer a navegação até Puerto Montt, e é conhecida hoje como a porta de entrada para a Patagônia chilena. Aysén cresceu e ganhou força.

Pela cidade, o turista se defronta com a placa indicando a rota de fuga de tsunami, o que não deve ser motivo de pânico. Desde 2007, quando um terremoto seguido de ondas gigantes abalou a região, nenhum evento do tipo ocorreu no local. E o sistema de alertas está preparado.

Catedral

Numa longa, mas valiosa viagem de cinco horas de carro e uns 15 minutos de bote, o visitante conhece a Catedral de Mármore, encravada no lago General Carrera, cuja água azul-turquesa resplandece à luz do dia. Aliás, o azul cristalino é marca do verão, a estação do degelo.

De volta a Puerto Aysén, partindo do porto de Chacabuco, a 15 km do centro, cinco horas de catamarã levam o turista à geleira de San Rafael, onde, principalmente no verão, é possível ver blocos da geleira em movimento. Já na direção do Canal de Darwin, o avistamento de baleias promete ser mais uma atração.

Perto de Puerto Aysén, o Parque Aiken del Sur tem quatro trilhas que convidam à caminhada. Entre as surpresas, seu curioso jilguero – um pequeno pássaro de canto bonito, que se aproxima de todos que se aventuram pelas belas trilhas.

Geleiras de San Rafael

Fenômeno. O desabamento de grandes blocos de gelo – fenômeno observado em lugares como a Laguna San Rafael – é um acontecimento natural, provocado pelo acúmulo de neve no topo das montanhas, que, pela força da gravidade, vai sendo empurrada para baixo. Cientistas alertam que a intensificação do aquecimento global tem afetado esse fenômeno, já que as altas temperaturas impedem a formação de geleiras com grande volume e aceleram o derretimento. 

Nível do mar. Esse fenômeno também acontece em outras regiões, como a Groenlândia e a Antártica. “Mas é a aceleração do derretimento nos Andes que tem dado uma das maiores contribuições para a elevação do nível do mar”, informa o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Jefferson Simões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave