Lista do STF sai em mau momento da economia brasileira, diz 'NYT'

O jornal destaca que vários dos nomes que serão investigados sob aval do STF são de partidos que fazem parte da base de apoio ao governo

iG Minas Gerais | Folhapress |

O acontecimento, chamado de
Reprodução
O acontecimento, chamado de "inédito" por muitos veículos, chamou a atenção da imprensa mundial

A divulgação da lista com os nomes dos políticos investigados sob suspeita de envolvimento com o escândalo na Petrobras foi tema de reportagem no site do jornal norte-americano "The New York Times" neste sábado (7).

O jornal destaca que vários dos nomes que serão investigados sob aval do STF (Supremo Tribunal Federal) são de partidos que fazem parte da base de apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff, que atualmente enfrenta uma crise econômica.

Além dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a reportagem menciona também o senador Fernando Collor (PTB-AL), ex-presidente da República.

O "NYT" diz ainda que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, solicitou ao STF que Dilma não fosse investigada.

O texto afirma que o processo deverá ser lento, já que as investigações poderão ou não encontrar provas suficientes capazes de levar os políticos envolvidos a julgamento.

Além disso, o jornal americano destaca que as autoridades políticas no Brasil possuem foro privilegiado, o que permite serem julgadas apenas pelo STF.

Segundo o NYT, a publicação dos nomes pelo STF acontece em um momento delicado para a economia brasileira.

Com a Petrobras no centro dos escândalos da Operação Lava Jato, houve uma fuga de investimentos estrangeiros do Brasil, fazendo com que o real desvalorizasse 7% em relação ao dólar na última semana.

A reportagem conclui lembrando que a turbulência entre o Planalto e o Congresso está aumentando, havendo a preocupação de que os parlamentares possam bloquear medidas defendidas pelo governo para retomar o crescimento econômico.

Leia tudo sobre: lava jatoLava Jatolavajato